Ver Angola

Comércio

Fazenda na Humpata sem compradores para quatro mil toneladas de laranjas

A fazenda agro-industrial ‘A Nossa Terra’, localizada no município da Humpata, Huíla, não tem conseguido comercializar as laranjas que produziu. Até ao momento estão por escoar cerca de quatro mil toneladas de laranjas, que poderão vir a ficar estragadas caso não apareçam compradores nos próximos dias.

:

De acordo com Rita Soma Miranda, administradora municipal da Humpata, o mercado local não tem capacidade para acolher a produção, que geralmente deve ser colhida e comercializada no prazo de três meses.

Citada pela Angop, a responsável fez ainda saber que registaram a fazenda na plataforma digital do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) "para ter compradores directos". "Até ao momento temos tido correspondência por parte desses compradores, mas ainda assim estamos preocupados porque a fruta se está a estragar", afirmou.

Além disso, para tentar contornar o problema e combater as perdas, a fazenda - que está ligada à Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas - tem baixado o preço do produto.

A par da falta de compradores, o baixo poder de compra por parte de potenciais clientes, as restrições adoptadas devido à covid-19, o mau estado das vias de acesso e estradas e a inexistência de uma indústria de transformação na região também têm agravado a situação do escoamento.

Relativamente à indústria de transformação, a administradora admitiu que essa seria uma solução fiável para combater o problema. Contudo, revelou que as fábricas que ficam próximas da fazenda não estão a funcionar desde 2013, dificultando o processo de escoamento.

A região tem um total de oito fábricas de transformação de frutas. As unidades foram inauguradas em 2007, e apesar de estarem equipadas com máquinas novas não operam há cerca de sete anos.

Rita Soma Miranda fez ainda saber que o sector de produção da região está fragilizado por falta de apoios. Exemplo disso é as perdas que a região regista por ano. Segundo a Angop, a província da Huíla consegue produzir frutas e legumes todo o ano devido ao seu clima, no entanto, por ano perde cerca de 50 mil toneladas de produtos por falta de escoamento.

A fazenda 'A Nossa Terra' é composta por 250 mil laranjeiras, plantadas em 320 hectares de terreno. Tem também fábricas equipadas com máquinas capazes de produzir seis mil garrafas de um litro e meio por hora. A fábrica de sumos de laranja é capaz de produzir mil litros de sumo a cada hora.