Ver Angola

Ambiente

Angola começou esta Sexta-feira a monitorizar migração de elefantes no Parque do Luengue

Especialistas de biodiversidade angolanos e namibianos começaram esta Sexta-feira a colocar coleiras de GPS a oito líderes de manadas de elefantes identificados no Parque Nacional do Luengue, província do Cuando Cubango, para controlo da sua movimentação.

: Lusa
Lusa  

Em declarações à agência Lusa o responsável pela comunicação da administração municipal do Rivungo, André Kuvuandinga, disse que a actividade teve início esta Sexta-feira com a identificação de oito elefantes, líderes de oito manadas.

Segundo André Kuvuandinga, este trabalho deverá durar dez dias e inclui especialistas de dois dos cinco países que fazem parte do projecto Okavango/Zambeze (KAZA), que integra também o Botsuana, Zimbabué e a Zâmbia.

A colocação deste dispositivo nos mamíferos visa controlar a sua migração de um país para outro, podendo-se assim "delimitar o território onde chegam os elefantes de Angola, ou seja, de cada país que está envolvido no projecto".

O regedor da comuna do Luiana, município do Rivungo, França Cerera, citado numa nota da administração comunal, questionou a insuficiência de fiscais, tendo em conta a dimensão do parque, defendendo a necessidade de recrutamento de mais efectivos para o combate à tentativa de caça furtiva dos animais.

Por sua vez, o director do gabinete provincial do Ambiente, Júlio Bravo, disse que foram identificadas quatro zonas de maior circulação de elefantes, que são o corredor do Cuando, Bua-Buata, Pico de Angola e o interior do parque.

André Kuvuandinga salientou que, até 2010, aquela zona foi muito afectada pela caça furtiva.

O Projecto KAZA, lançado em 2013, é desenvolvido nos cinco países africanos com a maior população de elefantes, ocupando uma área com mais de 519 mil quilómetros.

O parque do Luengue, localizado na comuna do Luiana, município de Rivungo, foi fundado em 2011 e ocupa uma área de 22.610 quilómetros quadrados, estendendo-se da reserva parcial do Luiana até às antigas coutadas públicas de Longa.

Entre os vários animais existentes no parque, destaca-se a presença de elefantes, búfalos, leões, nunces, bambis e palancas.

Relacionado