Lusa e RTP fecham em Luanda acordos com a Televisão Pública de Angola

A Agência Lusa e a RTP assinam, na Terça-feira, em Luanda, protocolos de cooperação com a TPA (Televisão Pública de Angola), com incidência especial no domínio da formação profissional, em particular na área da multimédia.
:
  

Estes protocolos serão formalmente fechados durante o segundo e último dia da visita oficial a Angola do primeiro-ministro, António Costa, cujo programa terá então uma forte componente institucional.

Os acordos serão assinados pelos presidentes da Lusa, Nicolau Santos, da RTP, Gonçalo Reis, e da TPA, José Guerreiro, pelas 16h30, na sede de televisão angolana, na presença do ministro da Comunicação Social de Angola, João Melo, e de um secretário de Estado do Governo português, entre outros representantes de entidades oficiais dos dois países.

No caso específico da Lusa, o acordo de formação profissional com a TPA terá um carácter institucional, não envolvendo contrapartidas financeiras. Entre outros aspectos, o protocolo prevê o envio de formadores a Angola, mas, igualmente, a frequência de cursos de formação em Lisboa.

"O objectivo é estreitar as relações entre a Lusa e os 'media' angolanos, não só na área da formação, como também no que respeita à troca de conteúdos que possam enriquecer a nossa linha noticiosa", afirmou o presidente do Conselho de Administração da Agência Lusa, Nicolau Santos.

A Agência Lusa tem em perspectiva a assinatura a prazo de protolocos semelhantes com a Rádio Nacional de Angola (RNA) e com o Jornal de Angola, assim como um acordo de cooperação com a Angop, o qual, além da vertente da formação profissional, contempla também o objectivo de as duas agências procederem a uma troca de serviços e a assistência mútua.

Já no plano comercial, a Agência Lusa tem em curso um programa de alargamento da sua operação em Angola, designadamente com uma aposta no aumento da produção de vídeo e com a contratação de um jornalista para cobrir o eixo Benguela/Lobito.

Uma das mudanças reside na possibilidade de os clientes angolanos poderem agora efectuar os seus pagamentos em kwanzas, cuja receita servirá directamente para financiar a expansão da operação da Agência Lusa em Angola.

Mais Lidas