Ver Angola

Comércio

Importações angolanas aumentam 13 por cento com o cimento a liderar

Angola importou mais de 3,5 milhões de toneladas de mercadorias no último trimestre de 2014, um aumento de 13 por cento face ao mesmo período do ano anterior, com o cimento a liderar a lista das importações. Os dados constam do mais recente boletim estatístico do Conselho Nacional de Carregadores (CNC) de Angola, instituto público tutelado pelo Ministério dos Transportes e que coordena as operações de comércio e transporte marítimo internacionais.

:

O documento indica que entraram nos portos nacionais, entre Outubro e Dezembro, um total de 3.562.964,36 toneladas de mercadorias (mais 13,05 por cento face a 2013). Este número contrasta ainda com as 2.847.796 toneladas de produtos diversos importadas no terceiro trimestre de 2014, que na altura representou uma descida homóloga de 2,98 por cento.

O cimento hidráulico, apesar da forte capacidade de produção instalada no país, que levou o Governo a impor quotas à aquisição ao exterior, continua a ser o principal produto de importação por Angola. Apesar de ter recuado, em termos homólogos, 3,37 por cento, o país importou 539.596,59 toneladas de cimento nos últimos três meses do ano.

O sector das bebidas e alimentação colocou sete produtos entre a lista de 10 principais mercadorias importadas neste período. O açúcar, cuja importação triplicou (para 203.054,17 toneladas), foi o segundo produto mais comprado ao exterior, seguido das carnes (175.504,16 toneladas) do arroz (que duplicou, para 173.338,59 toneladas) e da farinha de trigo (151.797,63 toneladas). Este volume de importação já incorpora o efeito da introdução da nova pauta aduaneira, que desde Março de 2014 agravou os custos da importação de alguns produtos, para fomentar a produção nacional.

Ainda segundo o documento do CNC, a China volta a ser o principal parceiro de Angola também nas importações de mercadoria (exceptuando portanto a venda de serviços), tendo sido origem de 741.659,75 toneladas de produtos, uma quebra homóloga de 10,77 por cento. No segundo lugar figura Portugal, que viu as exportações para Angola aumentarem 2,75 por cento no quarto trimestre de 2014, para 526.432,19 toneladas. No terceiro lugar, o Brasil viu as exportações para o país aumentarem, mais de 60 por cento, para 359.395,47 toneladas.