Ver Angola

Comércio

Supermercados Kero e Candando são os próximos na lista de privatizações do Governo

As cadeias de supermercados Kero e Candando deverão ser as próximas na lista de privatizações do Governo. Na semana passada, o Executivo já tinha anunciado a privatização dos Kero até ao final de 2021, mas, para já, ainda não foram referidos pormenores ligados aos supermercados Candando.

:

A pandemia de covid-19 veio beneficiar os compradores e prejudicar os vendedores, mas não é isso que vai demover o Executivo de alienar estes supermercados. Aliás, o objectivo da venda é superar as dificuldades que têm vindo a ser notadas nestes dois estabelecimentos, refere o Jornal de Negócios.

Os Kero, detidos pelos generais Hélder Vieira Dias 'Kopelipa' e Leopoldino Fragoso do Nascimento 'Dino', chegaram às mãos do Governo em Outubro do ano passado. Desde então, a gestão estatal tem vindo a ser criticada pelos clientes, que se queixam da falta de produtos e das prateleiras praticamente vazias.

A situação dos Candando é um pouco diferente. Estes supermercados pertencem à Contidis, que é detida pela empresária Isabel dos Santos, e que acabou por ser arrestada no final de Dezembro de 2019. O arresto veio agitar a estabilidade dos empregos e aumentar a descontentamento da população.

Segundo o Jornal de Negócios, uma das razões que empurrou estas duas empresas para o topo da lista de privatizações do Estado está relacionada com os problemas financeiros que as duas cadeias enfrentam.

Estes problemas dificultam a captação de novos investidores para as diversas áreas de actividades destes supermercados. O não aparecimento de novos investidores é uma vantagem para outras empresas que já funcionam no país.

Exemplo disso, são as empresas Noble Group e a Newaco Group (as duas com ligações à Índia), que demonstram interesse na aquisição das cadeias de supermercados. Este interesse, cria uma certa pressão no Executivo, o que pode dar liberdade para se conspirar sobre a existência de favorecimento. Isto porque, de acordo com o Jornal de Negócios, o Noble Group é um dos principais fornecedores do Ministério da Defesa.

No entanto, estas suspeitas podem ser combatidas com a criação de critérios que determinem o envolvimento de entidades internacionais no processo de venda, assegurando assim que o procedimento é feito de forma transparente.

Os supermercados serão vendidos em separado. Para já, sabe-se que os Kero vão ser privatizados até ao final deste ano, contudo, o Executivo ainda não se pronunciou sobre as datas de privatização para os Candando, o que pode indicar que ainda há possibilidade de o Executivo e Isabel dos Santos chegarem a um acordo, escreve o mesmo jornal.

Relacionado