Ver Angola

Defesa

Centro Integrado de Segurança Pública destaca aumento de câmaras de videovigilância

O ministro do Interior destacou esta Quarta-feira o aumento de 411 câmaras de videovigilância no Centro de Integrado de Segurança Pública (CISP) que, até Novembro, registou 1085 ocorrências e alargou a sua acção para 32 esquadras.

: Ministro do Interior na cerimónia de comemoração do primeiro aniversário do CISP
Ministro do Interior na cerimónia de comemoração do primeiro aniversário do CISP  

Eugénio Laborinho, que discursava esta Quarta-feira na cerimónia de comemoração do primeiro aniversário do CISP, considerou que o aniversário da instituição deve servir de reflexão no sentido de avaliar o impacto da implementação do sistema tecnológico.

"No seu primeiro ano de funcionamento o CISP agregou valores significativos na capacidade de dar resposta às emergências. De forma integrada primou pelo aumento de 411 câmaras de videovigilância", afirmou. E "incluiu outros serviços e sistemas públicos e privados bem como expandiu a rede de comunicação o que permitiu maior cobertura policial em determinadas zonas".

O primeiro CISP do país, instalado em Luanda, criado para, através de meios tecnológicos, facilitar a troca de informações entre a polícia e órgãos de segurança do país, foi inaugurado pelo Presidente, João Lourenço, a 30 de Dezembro de 2019.

Segundo o governante, à semelhança do trabalho realizado na província de Benguela, que conta com uma instalação local do CISP, as províncias do Huambo e Huíla vão contar com as respectivas instalações provinciais em 2021.

O CISP, construído numa área de cerca de 8000 metros quadrados, possui uma sala de videovigilância, uma de atendimento ao despacho, um centro de comando de respostas rápidas e um laboratório, podendo o cidadão aceder aos serviços através da linha de telefone de emergência 111.

Já o director adjunto do CISP, Adulcínio Lutucuta, que procedeu a apresentação do relatório de actividades de um ano, deu conta que este ano mais sete esquadras em Luanda foram adicionadas no sistema de vigilância, passando de 25 para 35 esquadras.

A fim de garantir a comunicação dos efectivos operacionais, "as estações de base de comunicação também verificaram um aumento este ano, de 12 em 2019 para 18 em 2020, o que facilitou a cobertura de maior parte das áreas de Luanda".

No domínio da promoção da eficiência, Adulcínio Lutucuta deu conta que com a expansão da capacidade do CISP a "eficiência dos agentes do CISP melhorou significativamente" tendo registado entre Janeiro e Novembro de 2020, 159.534 chamadas.

"O número de ocorrências válidas no mês actual aumentou de 16.486 em Janeiro de 2020 para 20.710 em Novembro de 2020. Neste período, a percentagem de ocorrências efectivas aumentou de 4,1 por cento para 12,99 por cento", explicou.

De acordo com o responsável, após um ano de operação oficial o CISP "não é mais um simples centro de chamadas de emergência, mas gradualmente transformado em um centro de informações integradas".

A instituição, tutelada pelo Ministério do Interior, é suportada por 741 efectivos, sendo 107 oficiais, 51 subchefes, 565 agentes e 18 trabalhadores civis.

Relacionado