Ver Angola

Saúde

Chefe de Estado português rejeita que nova variante da covid-19 seja preocupante para Angola

O Presidente da República português rejeitou no Sábado que a disseminação da mais recente variante do coronavírus em Angola seja um factor de preocupação, sustentando que o país tem desde o início da pandemia uma política de contenção rigorosa.

: Rui Ochoa/Presidência da República portuguesa
Rui Ochoa/Presidência da República portuguesa  

Interrogado pelos jornalistas, em Luanda, sobre se estava preocupado com a estirpe descoberta recentemente na África do Sul, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu afirmativamente, acrescentando: "mas não aqui, em Angola".

"Em Angola houve sempre, felizmente, uma política muito cuidadosa. Logo que cheguei [Sábado], às 07h00, fiz o meu teste e tive o resultado logo a seguir. Houve sempre uma política muito cuidadosa quanto a entradas e saídas do território e quanto a testagem", declarou, acrescentando que Portugal também está "a contribuir".

O chefe de Estado disse que durante a tarde de Sábado também vai "formalmente entregar 200.000 vacinas" e que através da COVAX, o programa da Organização Mundial da Saúde (OMS) para distribuição de vacinas, "virão mais 1.300.000".

No total, sustentou, Portugal vai contribuir com "mais de dois milhões e meio" de doses.

Por isso, "Angola não tem tido os problemas de outros países africanos".

O chefe de Estado português considerou ainda que o repatriamento de cidadãos portugueses, por causa da estirpe do SARS-CoV-2 recentemente descoberta, depende dos "juízos das autoridades sanitárias", mas lembrou que o processo é da competência do Governo.

No final de uma visita ao Centro de Vacinação Paz Flor, nos arredores de Luanda, Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado sobre os pedidos de repatriamento de vários portugueses residentes, por exemplo, em Moçambique, por causa das restrições às viagens decretadas para mitigar a propagação da mais recente variante, detectada na África do Sul.

"Não vou antecipar aquilo que é uma competência do Governo nessa matéria de repatriamento, por envolver intervenção de juízos das autoridades sanitárias", referiu o chefe de Estado.

Neste momento, prosseguiu, "entra o saber ir medindo a progressão de casos fora do país, dentro do país, de portugueses dentro do país ou fora do país".

O Presidente da República esteve em Luanda no fim-de-semana para participar na Bienal de Luanda 2021 - 2021 - Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz. O programa da visita também incluiu uma visita a um dos maiores centros de vacinação da capital angolana.

A nova variante do coronavírus, a Omicron, foi detectada na África do Sul e, segundo a OMS, o "elevado número de mutações" pode implicar maior infecciosidade.

Relacionado