Ver Angola

Banca e Seguros

Consultora Fitch revê em baixa o crédito bancário em Angola para 2,5 por cento este ano

A consultora Fitch Solutions reviu esta Quarta-feira em baixa a previsão de crescimento para os empréstimos bancários em Angola, estimando agora um aumento de 2,5 por cento este ano e 6,2 por cento em 2022, privilegiando o sector privado.

:

"Prevemos que depois de uma contracção de 2,4 por cento em 2020, os empréstimos dos bancos aos clientes em Angola cresçam 2,5 por cento em 2021 e 6,2 por cento em 2022, o que é uma revisão em baixa face aos 4,5 por cento e 8,2 por cento, respectivamente, previstos anteriormente", lê-se num comentário à situação da banca em Angola.

No documento, enviado aos clientes e a que a Lusa teve acesso, esta consultora detida pelos mesmos donos da agência de notação financeira Fitch Ratings escrevem que "um kwanza estável no resto deste ano e em apreciação em 2022 actuará como limitador do crescimento do crédito".

Na nota, a Fitch Solutions diz também esperar que a banca "mude o foco do sector público para o sector privado neste e no próximo ano" e aponta que a rentabilidade do sector deve melhorar nos próximos trimestres.

Para sustentar a actualização da previsão sobre o volume de empréstimos, os analistas apontam o abrandamento do crescimento de 7,9 por cento em Agosto para 1,3 por cento em Setembro, explicada "pela maior estabilidade do kwanza, que é também responsável pela previsão abaixo da média entre 2012 e 2019 de 9,2 por cento, que estará acima da estimativa para este e o próximo ano".

A apreciação antecipada do kwanza para os próximos meses, para 600 kwanzas por dólar até final do ano, influencia os valores dos empréstimos em moeda estrangeira, que valem cerca de um terço das operações de crédito em Angola.

"Acreditamos que um kwanza estável no resto do ano e apreciando-se moderadamente para uma média de 588 kwanzas por dólar em 2022 vai continuar a limitar o crescimento do crédito", concluem os analistas.