Ver Angola

Política

Angola lidera novamente Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos

Angola assumiu esta Sexta-feira, pela segunda vez, a presidência rotativa, por dois anos, da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL), mandato que será marcado por um trabalho conjunto para erradicar grupos armados, disse o Presidente João Lourenço.

:

O chefe de Estado, que discursava no final da 8.ª cimeira da CIRGL, realizada por videoconferência, disse ainda que o mandato ficará marcado por fazer respeitar os acordos de paz concluídos na região e trabalhar para o levantamento das sanções impostas contra o Burundi, bem como o combate ao inimigo comum, a covid-19.

João Lourenço, que agradeceu o voto de confiança, sublinhou que Angola assume esta responsabilidade num momento marcado por inúmeros desafios, incluindo a pandemia de covid-19, os conflitos que causam instabilidade, sem esquecer a luta comum para o desenvolvimento económico e social.

"A República de Angola acredita que a resposta colectiva a estes desafios consiste na tomada de acções concretas para materializar o tema escolhido para esta cimeira: Favorecer a implementação do pacto sobre segurança, a estabilidade e o desenvolvimento na Região dos Grandes Lagos, fortalecendo a cooperação económica regional e o desenvolvimento", referiu o Presidente.

Segundo o chefe de Estado, a implementação cabal do pacto dependerá dos meios a serem colocados à disposição do Secretariado-geral da CIRGL, pelo que a vontade política de todos constituirá o factor determinante.

João Lourenço expressou que Angola "está disposta a fazer da 'troika' hoje escolhida, constituída pelo Sudão, Angola e Congo, um colectivo de apoio a todos os Estados-membros".

O novo presidente da CIRGL felicitou o seu antecessor, o Presidente da República do Congo, Denis Sassou N'guesso, pela forma exemplar como liderou a organização nos últimos três anos, e saudou os passos positivos que se verificam na melhoria das relações entre o Uganda e o Ruanda e os esforços que estão a ser feitos para a normalização das relações entre o Burundi e o Ruanda.

No encontro, foi igualmente confirmado o angolano João Caholo, como novo secretário executivo da organização, que substitui no cargo o congolês Zachary Muburi-Muita.

A CIRGL é integrada por Angola, Burundi, República do Congo, República Democrática do Congo, República Centro-Africana, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia, Uganda e Zâmbia.

Angola assumiu, pela primeira vez, a liderança da CIRGL em 2014, tendo o mandato ficado marcado por esforços para o alcance da estabilidade política e militar na vizinha República Democrática do Congo.