Ver Angola

Educação

Acordo com a Hungria garante 50 bolsas de estudo para universitários angolanos

O país vai passar a beneficiar, por ano, de 50 bolsas de estudo para o ensino universitário. As bolsas - que vão incluir licenciaturas, mestrados e doutoramentos em diferentes especialidades - fazem parte do Programa de Bolsas de Estudo de Intercâmbio Educacional, designado “Stipendium Hungaricum”, que resulta de uma cooperação entre Angola e a Hungria.

:

Para firmar o programa, o secretário de Estado para a cooperação internacional e comunidades angolanas, Domingos Custódio Vieira Lopes, e o embaixador da Hungria em Angola, Zolts Maris, assinaram esta Quarta-feira um memorando de entendimento.

Na cerimónia, que decorreu em Luanda, Domingos Lopes não avançou com data específica para que o programa seja implementado, mas admitiu que o programa será uma mais valia para a formação académica dos estudantes angolanos, uma vez que as universidades húngaras estão muito bem classificadas a nível internacional.

O responsável, citado pela Angop, disse ainda ter esperanças de que este programa faça o número de bolseiros angolanos crescer.

Já Alves da Silva, secretário de Estado para o Ensino Superior, que também esteve presente na cerimónia, considerou que este acordo representa um ganho para o país, a nível da formação académica no estrangeiro.

O processo de escolha dos bolseiros ficará ao encargo do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudos (INAGBE), disse, acrescentando que deverá ser dada primazia às engenharias, tecnologias, saúde e ciências agrárias, sem negligenciar outras especialidades.

Na mesma visão, o embaixador húngaro admitiu que este programa é uma vantagem para a formação académica dos jovens. Totalmente gratuito, este programa, deve ser visto como uma oportunidade: "A bolsa é totalmente gratuita, os estudantes não pagam alojamentos, alimentação e outras despesas, sendo coisa única no mundo", completou.