Ver Angola

Defesa

Serviço de investigação diz que crianças desaparecidas morreram por afogamento

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) anunciou que as duas crianças encontradas mortas numa lagoa, com sinais de violência sexual, segundo familiares, morreram afogadas.

: Ampe Rogério
Ampe Rogério  

Numa nota de esclarecimento, a que a agência Lusa teve acesso, o SIC salienta que as informações postas a circular nas redes sociais “não correspondem com a realidade dos factos”, pois os corpos das crianças, de seis e oito anos, primas e vizinhas, foram removidos, este Domingo, por volta das 10h00, em Cacuaco, arredores da cidade de Luanda, “por presumível diagnóstico de afogamento”.

O SIC refere que, segundo declarações do progenitor de uma das vítimas, as duas meninas foram dadas como desaparecidas na Sexta-feira passada, por volta das 10h00, tendo a família dado início a uma intensa busca das menores durante dois dias, sem sucesso.

Na nota, o SIC frisou que foram colocadas informações nas redes sociais para a sua localização, situação que ainda gerou aproveitamento de pessoas de má-fé, que por via disso queriam extorquir dinheiro à família para um falso resgate.

Na manhã de Domingo, os corpos das menores emergiram da escavação do tanque de água, de onde foram imediatamente removidos.

Segundo o SIC, os cadáveres das menores foram submetidos à autópsia médico-legal, tendo-se concluído que a causa da morte foi asfixia aguda, devido a penetração de água nas vias respiratórias, como consequência de afogamento na água, conforme dados da perícia médico-legal.

“Salientar que não obstante os dados obtidos, diligências prosseguem em coordenação com outras forças e as comissões de moradores local, para apuramento de mais elementos desta infeliz situação”, refere-se no documento.

Familiares ouvidos, na Segunda-feira, pela rádio pública, contaram que testemunhas disseram que as crianças foram aliciadas por um desconhecido, com 50 kwanzas para comprar mangas no valor de 20 kwanzas, e que quando as menores foram entregar o troco já não regressaram.

De acordo ainda com familiares das vítimas, os cadáveres foram encontrados com sinais de espancamento, violação sexual e enforcamento.