Divisas nos bancos cobrem indústria, empresas e importação de alimentos

A injecção de divisas pelo Banco Nacional de Angola (BNA) na banca comercial aumentou quase 27 por cento na última semana, para 135,4 milhões de euros, mas mantém-se em mínimos do ano.
:
  

A informação consta do relatório semanal do BNA sobre a evolução dos mercados monetário e cambial entre 21 e 25 de Novembro, contrastando com os 106,8 milhões de euros da semana anterior.

Segundo o documento, consultado pela Lusa, as divisas disponibilizadas – mantêm-se exclusivamente em euros desde Março – em vendas directas equivalentes a 151,4 milhões de dólares, destinaram-se sobretudo a cobrir necessidades da indústria nacional (24,3 milhões de euros) e de importação de alimentos (22,4 milhões de euros), mas também operações de empresas (22,5 milhões de euros).

Foram ainda garantidas operações dos sectores das telecomunicações (22,4 milhões de euros), da saúde (11,6 milhões de euros) e petrolífero, neste caso com 18,5 milhões de euros vendidos em leilão de preços.

A taxa de câmbio média de referência de venda do mercado cambial primário, apurada ao final da última semana, permaneceu praticamente inalterada, nos 166,725 kwanzas por cada dólar e nos 186,279 kwanzas por cada euro.

Contudo, no mercado de rua, a única alternativa, embora ilegal, face à falta de divisas aos balcões dos bancos, cada dólar norte-americano custa à volta de 490 kwanzas.

Mais Lidas