Ver Angola

Transportes

Meio ano depois África do Sul reabre fronteiras. Angola pode viajar sem restrições

Meio ano depois de as deslocações entre Angola e a África do Sul terem sido suspensas devido à covid-19, o país decidiu reabrir, esta Quinta-feira, as suas fronteiras. Para recuperar as viagens de forma gradual, a África do Sul elaborou uma lista de países considerados de "alto risco" e que estão sujeitos a restrições. Angola ficou de fora da lista, permitindo assim que viaje sem constrangimentos.

:

Num comunicado dos Serviços de Imprensa da Embaixada de Angola em Pretória, citado pela Angop, Naledi Mandisa Pandor, ministra das relações internacionais e cooperação da África do Sul, adiantou que a lista foi feita com base em critérios da Organização Mundial de Saúde, que categoriza os países por três níveis de risco (baixo, médio, alto).

Segundo as autoridades daquele país, Angola ficou de fora da lista composta por 57 países considerados de "alto risco". Dessa lista, da qual fazem parte países como a Índia, França, Rússia, Holanda, Porto Rico, Estados Unidos da América, Venezuela, Roménia, Qatar, Trindade e Tobaco, Grã-Bretanha, entre outros, o governo sul-africano não está a aceitar a entrada de "viajantes de lazer".

"Quem pretende viajar para África do Sul para negócios ou lazer, deve possuir seguro de viagem e efectuar testes obrigatórios de PCR nas últimas 72 horas antes da partida do seu país de origem", explicou a governante sul-africana, acrescentando que será dada primazia aos viajantes dos países africanos.

Quando os passageiros aterrarem na África do Sul vão ser testados à covid-19. Os que tiverem resultado positivo vão ficar sujeitos à realização de quarentena durante um período de 10 dias.

Para já vão estar abertos três aeroportos naquele país: o aeroporto OR Tambo Internacional em Joanesburgo em Gauteng, o aeroporto Cape Town Internacional em Cab Ocidental e o aeroporto King Shaka em Durban/Kwazulu Natal.

A África do Sul fechou fronteiras, escolas, comércio, entre outros em Março e, passados seis meses, está a voltar à normalidade com a reabertura gradual do país.