Ver Angola

Sociedade

A inesperada ligação entre Cabingano Manuel e Luther Rescova

O jornalista Cabingano Manuel, o mais jovem director de informação da TPA, recorreu às redes sociais para lembrar a generosidade que corria nas veias de Luther Rescova. O ex-governador de Luanda e actual governador do Uíge - que morreu na passada Sexta-feira, com 40 anos - conheceu o jornalista quando este ainda se iniciava no sector e decidiu estender-lhe a mão e ajudá-lo a estudar. “Conselheiro, amigo e grande motivador, Luther Rescova nunca me deixou na mão”, escreve o jornalista.

:

Tudo começou em 2010, quando Cabingano Manuel foi o escolhido para cobrir o CANFEU, que decorreu no Uíge. "Confesso que na época, não conhecia, pessoalmente o secretário nacional da JMPLA, o jovem de 30 anos, na época, Sérgio Luther Rescova Joaquim. Apenas ouvi falar do seu nome", escreve, afirmando que aquele momento nunca vai escapar da sua memória. "A memória nunca me deixou escapar de forma telegráfica o episódio que mudou a minha vida enquanto profissional e revelou o irmão que a vida me apresentou", recorda.

Com apenas três anos de carreira, Cabingano conta que estava o pavilhão gimno-desportivo do Uíge, à espera que a cerimónia do CANFEU2010 começasse. Ao reparar que o seu microfone estava a ser "engolido" pelos restantes microfones, decidiu reposicioná-lo. Foi nesse momento que ouviu uma voz a dizer que precisavam de falar com ele. O jornalista olhou para a pessoa, sem a reconhecer e respondeu que falariam no final do evento.

Ao regressar ao seu lugar perguntou ao seu colega quem era a figura que o tinha abordado. O colega prontamente lhe disse que se tratava de Luther Rescova. "Acusei vergonha, por não conhecer o protagonista do acto. Mas, levantei a cabeça e fixei o rosto dele para sempre", lembra.

"Já de noite, fiquei com a missão de fazer um directo para o telejornal, com Luther Rescova como meu entrevistado. Estaríamos juntos pela primeira vez, num frente a frente, depois do seu pedido para conversarmos", continua o jornalista.

No final da entrevista, recorda o jornalista, Luther Rescova chamou-o e deu-lhe os parabéns pelo percurso até aqui traçado: "Cabingano vi a reportagem da tua defesa de tese no ISCED, ouvi o teu pai falar emocionado pela tua conquista e vi-me em ti. A tua história de vida é muito parecida à minha. Estás de parabéns", indica o jornalista, que diz ter ficado surpreso com as palavras de Luther Rescova.

Contudo, as surpresas não se ficavam por aqui. O governador revelou que o queria ajudar. "Estás a vir de longe... desde as novelas que te sigo e agora como repórter vejo que és muito batalhador. Tens muito potencial. Tu ainda vais chegar muito longe. Quero ajudar-te", disse Luther Rescova a Cabingano Manuel.

De acordo com Cabingano, Rescova disse-lhe para escolher um país para fazer um mestrado em jornalismo e que as despesas ficariam ao seu encargo. Surpreso, o jornalista ficou sem saber o que dizer. No entanto, Rescova insistiu: "Faça um levantamento das necessidades com aluguel de apartamento, valor de propinas e alimentação no país que escolheres e, avisa-me".

Cabingano Manuel ao início ficou incrédulo com a proposta de ajuda, achando que se tratava de "mais um político a fazer promessas". No entanto, aceitou a ajuda. Trocaram contactos e cada um seguiu o seu caminho.

"Passadas duas semanas, o meu telefone tocou. Era o Rescova do outro lado. Quando atendi, ouvi uma pergunta que revelou a pessoa de compromisso que era: 'Mano, como é? Já tens o levantamento dos custos? Já sabes onde queres fazer o mestrado?'". Foi nessa altura que o jornalista reparou que a conversa que teve há duas semanas foi com "o ser humano Luther Rescova e não com o político".

Sem ter ainda feito o levantamento, apressou-se a elaborar uma folha das despesas. "Meti-me à procura de soluções no Brasil, através da Internet, por ser um país que já conhecia minimamente", adianta.

Depois de ter apresentado o levantamento a Luther Rescova, este disse-lhe que tinha escolhido um bom país e que iriam avançar.

"Quem no meu lugar não ficaria feliz, com o momento que estava a viver? Eu estava diante de um jovem com valores cristãos, comprometido com as pessoas. No mesmo instante, Luther Rescova pediu-me as coordenadas bancárias e prometeu depositar o valor da passagem, alimentação e hospedagem para que eu fosse, imediatamente, para o Brasil. E, assim procedeu, sem titubear", relembra.

Acabou por tirar duas pós-graduações no Brasil, com o apoio de Luther Rescova. "Conselheiro, amigo e grande motivador, Luther Rescova nunca me deixou na mão. Era um irmão de facto", diz Cabingano Manuel, afirmando que o governador sempre o incentivou a estudar.

Quando começou a fazer o programa 'Gente da Banda', o jornalista ficou mais folgado em termos financeiros tendo avisado Rescova que não precisava de ser preocupar tanto com ele, no entanto, o governador não desistiu da promessa: "Tu aí não podes ficar apertado. Vou mandar sempre mais algum para as despesas com a minha família", disse o governador na altura.

"Senão fosse por ele, não teria, certamente, conquistado tantas vitórias nessa profissão", escreve, acrescentando que depois do seu pai e do seu irmão, Rescova foi "verdadeiramente, o presente de Deus" na sua vida.

"Hoje, sou quem sou também pela generosidade de Luther Rescova, o político, governador e académico que o país chora. Eu choro de forma desesperada pela morte prematura do irmão que ganhei, do padrinho da minha primogénita, do amigo de todos os momentos (...). Rescova era generosidade em pessoa", finaliza.

Cabingano Manuel tem 38 anos e há 15 que é jornalista. Licenciado em Sociologia pela Instituto Superior de Ciências da Educação de Luanda (ISCED), é também mestre em Administração Pública e tem duas pós-graduações: em gestão estratégica da Comunicação pelo IGEC e em Jornalismo Investigativo, ambas tiradas no Rio de Janeiro.

Desde 2002 que tem uma relação profissional com a TPA. Em Julho deste ano foi nomeado para ocupar o cargo de director de informação da televisão, tornando-se no mais jovem directo de informação da TPA.

Antes de ocupar o cargo de director, foi sub-director de conteúdos institucionais do canal 2 e da TPA Internacional, director geral adjunto da TPA internacional e director de comunicação e marketing da TPA.

Apresenta actualmente o programa "Na Lente", que é exibido quinzenalmente na TPA. Recebeu, em 2013, o Prémio Nacional de Jornalismo e no ano passado recebeu o Prémio Nacional de Jornalismo.

Relacionado