Ver Angola

Desporto

Estádio da Tundavala ganha nova vida e quer ver a bola a rolar já no próximo ano

O Estádio da Tundavala, localizado na província de Huíla, que há nove anos está num estado bastante degradado e sem condições para albergar jogos de futebol, começa a ver uma luz ao fundo do túnel: no ano passado iniciou-se o processo de reabilitação, prevendo-se que abra portas daqui a sete meses.

:

O estádio, inaugurado a 29 de Dezembro de 2009, foi construído para receber o Campeonato Africano das Nações de 2010. Com capacidade para albergar 20 mil espectadores, a obra custou cerca de 69 milhões de dólares.

Foi depois de ter sido palco do campeonato, que a degradação começou. O relvado ficou muito estragado e a infra-estrutura começou a sofrer um grande desgaste, temendo-se que o estádio viesse a desabar. A manutenção passou quase a ser nula, ficando o estádio deserto e ao abandono.

Nessa altura, a estrutura desportiva foi fechada três vezes para serem recuperados vários aspectos técnicos, escreve a Angop, mas o estádio continuou de portas fechadas.

De destacar que em 2015 foi roubado um gerador do sistema de rega do relvado, contudo, não há relatos de que tenha sido aberto qualquer processo para investigar o crime. Três anos depois, o ministério que tutela o estádio disponibilizou dois novos geradores.

Passados nove anos, o estádio viu a sua reabilitação ganhar forma: em Abril de 2019 o sistema de rega e a relva começaram a ser recuperados.

A empreitada resultou de um investimento, feito pelo Ministério da Juventude e Desportos (MJD), de 40 milhões de kwanzas. Segundo a Angop, este investimento serviu para reabilitar o sistema de água do estádio.

A primeira fase da recuperação, que previa a remoção de ervas daninhas, já foi concluída e desde Julho passado que a relva tem sido recuperada.

O responsável pela obra explicou que este processo deverá demorar cerca de sete meses a ficar acabado. Portanto, espera-se que o Estádio da Tundavala abra portas e receba jogos já no próximo ano.

Contudo, os problemas não se ficam por aqui. Fica ainda por reabilitar o imóvel que também está degradado e por regularizar o pagamento de salários. Há cerca de seis anos que os salários de 20 funcionários da área da limpeza e manutenção estão em atraso. Entretanto, os funcionários abandonaram os seus empregos, agravando os problemas de manutenção do estádio.