Ver Angola

Política

Marcelo afirma que relações AO/PT são “francamente muito boas” por entre aplausos nas ruas de Luanda

O Presidente da República afirmou esta Sexta-feira que as relações entre Portugal e Angola são “francamente muito boas” nos planos bilateral e multilateral e mostrou-se convicto num novo impulso com a entrada em vigor do acordo de mobilidade.

: Miguel Figueiredo Lopes/Presidência da República portuguesa
Miguel Figueiredo Lopes/Presidência da República portuguesa  

Esta posição foi transmitida por Marcelo Rebelo de Sousa em declarações aos jornalistas, após ter estado reunido esta manhã com o chefe de Estado de Angola, João Lourenço, na véspera do início da Cimeira da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) em Luanda.

"As nossas relações com Angola são muito boas em termos de posições comuns sobre questões comuns, quer no plano bilateral, quer no plano multilateral perante a comunidade internacional. Temos também relações muito boas em termos de chefes de Estado, responsáveis de Governo, designadamente ministros das Relações Exteriores ou dos Negócios Estrangeiros", salientou o chefe de Estado português no final do encontro com João Lourenço no Palácio Presidencial de Angola.

Marcelo Rebelo de Sousa fez depois referência ao acordo sobre mobilidade, que foi impulsionado pelo Governo português desde 2016 e que será assinado no Sábado, no final da cimeira.

"O acordo de mobilidade permite que os Estados-membros da CPLP possam bilateralmente ir mais longe, ou menos longe. Há países que já foram longe e podem ainda ir mais longe. Depois, há países que demorarão mais tempo", indicou.

Segundo o Presidente português, no caso do relacionamento bilateral entre Portugal e Angola, "os passos a dar serão muito positivos".

"Importa apostar no futuro, nomeadamente na juventude. Os vistos são muito importantes para trabalho, mas são muitíssimo importantes para estudantes", observou.

Passeio pelas ruas de Luanda com direito a aplausos

A passagem de Marcelo Rebelo de Sousa pela capital não tem passado despercebida. Esta Sexta-feira, o Presidente português, obrigou a interromper o trânsito e foi saudado por dezenas de angolanos que o acompanharam enquanto percorria a pé as ruas da baixa de Luanda.

Este foi o segundo passeio de Marcelo Rebelo de Sousa, que se encontra há menos de 24 horas na capital angolana, por Luanda, onde chegou na noite de Quinta-feira para participar na XIII cimeira de Chefes de Estado e de Governo das Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Pouco depois das 10h00, e antes de ser recebido pelo seu homólogo angolano, João Lourenço, na Cidade Alta, Marcelo Rebelo de Sousa desceu do hotel onde se encontra instalado em direcção à Mutamba, tendo obrigado a parar o trânsito por breves instantes.

Vários angolanos foram-se juntando ao chefe de Estado português durante o seu percurso matinal, parando para aplaudir e gritar: "isto é que é presidente".

"Presidente tem de andar na rua", exortavam alguns, considerando que o seu anfitrião e homólogo o devia acompanhar no passeio.

Na noite de Quinta-feira, o Presidente português deu outro passeio, por cerca de 40 minutos, destacando o ambiente "muito, muito simpático" que encontrou e a proximidade dos angolanos em relação a Portugal.

Relacionado