Lanchas rápidas vão facilitar acesso à península turística do Mussulo

A península turística do Mussulo, junto a Luanda, vai receber nos próximos anos seis lanchas rápidas, num programa do Governo para facilitar a deslocação de pessoas e mercadorias.
<a href=' http://www.angolaimagebank.com ' target='_blank'>Angola Image Bank</a>:
    Angola Image Bank

A medida consta do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, aprovado pelo Governo e recentemente publicado, contendo um conjunto de programas com a estratégia governamental para o desenvolvimento nacional na actual legislatura.

Conhecida por “ilha” do Mussulo, é na prática um banco de areia, com 99 quilómetros de costa, ligado a terra. É praticamente inacessível de carro, apenas de barco, e conta actualmente com resorts de luxo, restaurantes, condomínios privados e várias praias.

Com a aquisição destas lanchas, cujos valores não foram divulgados, o Governo assume o objectivo de "promover o transporte marítimo de passageiros para facilitar a deslocação de pessoas e mercadorias ao longo da península do Mussulo de forma segura, com redução de custos e melhor qualidade dos serviços de transporte".

Vivem actualmente no Mussulo, segundo os dados do levantamento feito para um estudo recente de intervenção naquela área, 15.300 pessoas em residências permanentes e 3.700 em segundas residências, contando a península com quatro escolas, um quartel de bombeiros, dois centros de saúde e 200 camas em oito resorts.

A península abrange uma área de 3.355 hectares - excluindo da intervenção deste plano as ilhas existentes nas águas interiores -, sendo 84 por cento desse território de paisagem natural e apenas 16 por cento de solo urbanizado.

Está em cima da mesa o reassentamento de moradores de "habitações informais", segundo foi admitido durante a apresentação das propostas de intervenção, a levar a cabo até 2032.

Mais Lidas