Ver Angola

Educação

Sonangol relança Centro de Formação Marítima

Com o objectivo de dinamizar a formação profissional e impulsionar o crescimento do sector petrolífero, a Sonangol relançou esta Quinta-feira o Centro de Formação Marítima (CFMA).

:

A petrolífera tinha já assinado, a 20 de Maio, um protocolo de cooperação com o Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP), com vista ao desenvolvimento da formação profissional nos domínios do sector petrolífero e complementares.

Este acordo visava a uniformização dos planos curriculares na área dos petróleos, homologação de certificados, capacitação técnica e a cedência de formadores por intermédio do Centro Nacional de Formação de Formadores (CENFFOR).

Recorde-se que o centro esteve inoperante durante dois anos, tendo em conta a falta de procura, agravada pela pandemia de covid-19. Inicialmente, a infra-estrutura tinha sido projectada para ministrar cursos de licenciatura e pós-graduação marítima, no entanto, o centro foi agora reestruturado para se tornar mais abrangente no sector.

"Desenvolvemos quatro ofertas formativas, das quais 'Produção', 'Exploração', 'Capacitação Técnica' e 'Capacitação Profissional', entre outras formações ligadas ao sector petrolífero de forma mais abrangente. Antes, apenas se desenvolviam técnicas marítimas", explicou Wiky Tabita, director-geral do centro.

Citado pela Angop, o responsável fez saber que o centro está aberto a empresas e pessoas singulares, sendo que os preços da formação (em dias úteis) variam entre os 40 mil a 700 mil kwanzas.

O Centro de Formação Marítima de Angola é uma empresa do grupo Sonangol vocacionada para o negócio de formação para a indústria, com instalações nas províncias de Luanda, no município de Cacuaco, e no Cuanza Sul, no município do Sumbe.

Este é o maior centro do país dedicado exclusivamente à formação em segurança Marítima, Oil &Gas, formação técnica e profissionalizante, gestão e soft skills, com cursos acreditados e aprovados por instituições nacionais e internacionais, sendo que, para este ano, prevê o lançamento de mais de 8000 formandos do sector de petróleo e gás.