Ver Angola

Saúde

China entregou mais de 600 ventiladores a Angola para o combate à covid-19

Angola já recebeu todo o material de biossegurança adquirido à China. Inicialmente o país tinha acordado receber um total de 380 toneladas de equipamento, contudo, esse número foi ultrapassado: Angola recebeu mais de 400 toneladas de mercadoria. De realçar que entre os vários materiais que chegaram ao território estão mais de 600 ventiladores.

: Moisés da Silva/Angop
Moisés da Silva/Angop  

O mais recente carregamento de material chegou ao país dividido em três voos, sendo o último esta Quinta-feira. Foram recebidas mais 18 toneladas de equipamentos. Nessas 18 toneladas, vindas da China, estão mais 204 ventiladores, 283 camas de cuidados intensivos e mais de 100 caixas de testes rápidos. 

Leonardo Inocêncio, secretário de Estado para a Saúde Hospitalar, que esteve presente no Aeroporto 4 de Fevereiro para presenciar o acto de recepção do material, explicou que a comissão interministerial tem vindo a aumentar o volume de material "devido à necessidade de adaptar a evolução da doença". "Houve a precisão de complementar alguns kits de equipamento de protecção individual, que sobretudo, careciam de verdubos e, neste sentido, já realizamos alguns voos de reforço desses meios, paralelos às quantidades doadas e que se seguem mais carregamentos", adiantou, citado pela Angop.

Nos últimos cinco dias, em três voos, chegaram ao país 50 toneladas de material, que somadas às restantes que já se encontravam no território resultam num total de 405 toneladas. De realçar que, no total, Angola recebeu mais de 600 ventiladores, invasivos e não invasivos, quatro laboratórios e mais de um milhão de kits de fatos de biossegurança.

Além disso, segundo a Angop, de um total de cinco mil camas previstas chegar a Angola, 4174 já estão disponíveis. Testes do tipo RTPCR, testes rápidos, zaragatoas, máscaras, luvas, lençóis para camas, batas descartáveis, entre outros materiais, também já podem ser usados pelos profissionais de saúde angolanos.

Até agora, a TAAG já fez 18 voos até à China para ir buscar material. Cada voo traz em média cerca de 20 toneladas de mercadoria.

Relacionado