Falta de combustíveis faz disparar preços no mercado paralelo

A falta de combustíveis no país, que começaram a rarear na passada Sexta-feira, fez disparar os preços do litro de gasolina e gasóleo um pouco por todo o país, atingindo, nalguns casos, quase o quádruplo.
:
  

Segunda-feira, em Luanda, grande parte dos postos de combustíveis das diferentes empresas de abastecimento estava encerrada, enquanto as abertas contam com grandes filas de automóveis ligeiros, veículos de transporte de mercadorias, táxis, motociclos e jovens com dezenas e dezenas de bidões que, depois de o adquirirem ao preço oficial, vão vendê-lo mais caro nos bairros periféricos.

Isso mesmo foi confirmado à agência Lusa por um punhado de jovens que aguardou, num posto de combustíveis de uma das principais artérias de Luanda, a Avenida Ho Chi Min, quase sete horas para encher inúmeros bidões de 30 a 50 litros que colocaram numa carrinha de caixa aberta, estacionada mais à frente.

Um litro de gasolina custa, oficialmente, 160 kwanzas, enquanto o de gasóleo ascende a 135 kwanzas, valores que os jovens garantiram à Lusa conseguirem duplicar, triplicar e, nalguns casos mesmo, quadruplicar no mercado paralelo.

Os táxis de Luanda, à semelhança do que está a acontecer noutras províncias, duplicaram o preço das tarifas (de 100 para 200 kwanzas), estando a circular um número substancialmente inferior ao habitual - são cerca de 24.000 os que circulam diariamente na capital.

Mais Lidas