São Tomé e Príncipe quer formar farmacêuticos em Angola

A ministra da Saúde de São Tomé e Príncipe solicitou ajuda a Angola para formar quadros do seu país e a experiência angolana para o processo de regulamentação do sector farmacêutico.
Farmácias de Angola:
    Farmácias de Angola

Maria de Jesus Trovoada dos Santos, que chegou ontem a Luanda para uma visita de trabalho de três dias ao nosso país, reuniu-se com o seu homólogo angolano, José Van-Dúnem, a quem manifestou as suas preocupações.

Em declarações à imprensa, a governante são-tomense disse que o objectivo essencial da sua visita está ligado à formação de quadros na área da medicina e da enfermagem. "Enviarmos os nossos quadros para se formarem cá. Acho que já existiram anteriormente algumas iniciativas que acabaram por não ter continuidade. Acho que é uma oportunidade de retomarmos este quadro de cooperação no sector da formação", salientou a ministra.

Segundo Maria de Jesus Trovoada dos Santos, de Angola pretendem igualmente colher experiências sobre política farmacêutica, nomeadamente processo de aquisição, abastecimento, fornecimento, controlo e qualidade.

A titular da pasta da Saúde de São Tomé e Príncipe disse que aquele sector enfrenta várias dificuldades, com destaque para as infra-estruturas, bastante antigas e a carecerem de reabilitação, bem como a fuga de quadros.

Por seu turno, o ministro da Saúde angolano referiu que será útil colher de São Tomé e Príncipe a sua experiência no combate à malária, que em Angola ainda é a primeira causa de morte por doença e internamentos, apesar de alguns ganhos obtidos nos últimos anos. "De modo que é muito útil olharmos a forma como estamos a lutar contra o paludismo (malária) com a colaboração de outros que já fizeram essa luta com sucesso", referiu o ministro.

José Van-Dúnem manifestou a disponibilidade para formar em Angola quadros são-tomenses, atendendo à oferta existente no país. "Já tivemos no passado colegas que estudaram aqui na universidade Agostinho Neto, temos mais sete faculdades públicas, essa possibilidade cresceu exponencialmente, temos escolas de enfermagem a nível de todas as capitais provinciais, poderemos aí estar abertos a receber colegas de São Tomé e Príncipe", frisou.

Durante a sua estada em Angola, Maria de Jesus Trovoada dos Santos tem previstas várias visitas a unidades hospitalares, à faculdade de medicina e uma deslocação à província do Huambo, onde deverá igualmente visitar alguns hospitais.

Mais Lidas