Ver Angola

Política

Rui Falcão regressa ao cargo de secretário para Informação do MPLA

O Bureau Político do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), indicou Rui Falcão de Andrade como o novo secretário para Informação e Propaganda da formação política.

:

A informação consta de um comunicado final, a que a Lusa teve acesso, da reunião realizada na Quarta-feira, sob orientação do líder do MPLA, que analisou a situação política, económica e social do país.

Rui Falcão, que foi exonerado este mês da pasta de governador da província de Benguela, assume pela segunda vez esta função, que teve também entre 2009 e 2013.

Além de Rui Falcão foram também indicados Yolanda dos Santos, secretária do Bureau Político para a Reforma do Estado, Administração Pública e Autarquias, Albino Carlos, que era o secretário para Informação e Propaganda do partido, secretário do Bureau Político para a Política Social, e Virgílio de Fontes Pereira, presidente do grupo parlamentar do MPLA, funções que vai exercer igualmente, pela segunda vez, entre 2012 e 2017.

O Bureau Político congratulou-se com a iniciativa presidencial da revisão pontual da Constituição, para "preservar a estabilidade social e consolidar os valores fundamentais do Estado democrático de direito".

Na reunião, salienta-se no comunicado, foi aprovado o tema "Agricultura e Pescas no processo de diversificação da economia angolana – resultados e perspectivas", a ser presente à quinta sessão ordinária do Comité Central do partido, considerando a agricultura e as pescas como setores decisivos para a estabilização das populações no meio rural, no fomento do emprego, no combate à fome, na redução da pobreza, bem como no processo de diversificação económica e social do país.

"O Bureau Político recomendou que o executivo capitalize as potencialidades da agricultura e das pescas, procedendo à maximização da aplicação dos recursos humanos, financeiros e materiais e os investimentos em infra-estruturas", lê-se no documento, que recomenda igualmente maior apoio à agricultura familiar e aos agentes nacionais do sector.

Sobre a vida interna do partido, foram apreciados os projectos do relatório anual de atividades e do relatório de actividades da comissão de disciplina e auditoria, desenvolvidas em 2020, e o relatório de execução do orçamento geral do partido, a serem submetidos à próxima reunião do Comité Central.

O estado de preparação, organização e realização do processo orgânico do 7.º congresso ordinário da Organização da Mulher Angolana (OMA), organização feminina do partido, que decorre até Sábado, bem como o plano geral de actividades das subcomissões de trabalho da comissão nacional preparatória do 8.º congresso ordinário do MPLA foram igualmente apreciados e aprovados.

Relacionado