Ver Angola

Banca e Seguros

Prémios do mercado segurador crescem 24 por cento

Segundo um estudo realizado pela Associação de Seguradoras de Angola (ASAN), que englobou 16 seguradoras num universo de 23 que operaram no mercado em 2020, o volume de prémios estimado para o conjunto do mercado foi de 231.674 milhões de kwanzas, representando um crescimento de 23,9 por cento relativamente ao ano anterior.

:

Segundo José Araújo, director-executivo da ASAN, os prémios destas 16 seguradoras representaram 97,44 por cento da totalidade do mercado em 2019, de acordo com os dados anunciados pela ARSEG.

Em destaque estiveram os ramos da Saúde, Petroquímica, Acidentes de Trabalho e Automóvel, com pesos relativos de 39,7, 19,1, 10,8 e 9,2 por cento, respectivamente.

A seguir os ramos com maior peso são o de Outros Danos em Coisas, Incêndio e Transportes, com um peso conjunto de 15 por cento.

De acordo com um comunicado remetido ao VerAngola, o mercado de seguros continua a apresentar um grau de concentração muito elevado que se traduz num peso relativo das cinco maiores seguradoras da amostra de 76,8 por cento, de 15,8 por cento das cinco seguradoras a seguir e de 7,4 por cento das seis restantes.

A taxa de penetração dos seguros (Prémios/PIB) teve uma evolução positiva em 2020 (de
0,60 por cento em 2019 para 0,73 por cento) como consequência duma evolução percentual do volume de prémios superior à da estimativa de crescimento do PIB nominal em kwanzas.

No que diz respeito à sinistralidade, considerando os dados duma amostra de seguradoras que representavam 83,75 por cento do mercado em 2019, a taxa de sinistralidade global manteve-se relativamente estável de 2019 (40,99 por cento) para 2020 (42,46 por cento), sendo de realçar a redução da taxa de sinistralidade do ramo automóvel de 46,30 por cento para 39,95 por cento.

De realçar que a Aliança Seguros, BIC Seguros, Bonws, Confiança, Ensa, Fidelidade, Fortaleza, Global Seguros, Nossa, Mundial, Protteja, Prudencial, Saham, SOL Seguros, Tranquilidade e Trevo Seguros foram as seguradoras que fizeram parte deste estudo.