Ver Angola

Saúde

Embaixador desaconselha repatriamento de angolanos: “É mais seguro ficar em casa”

Gong Tao, embaixador chinês em Angola, desaconselhou o repatriamento dos cidadãos angolanos no território, principalmente os que se encontram no epicentro da epidemia de coronavírus, em Wuhan.

:

O diplomata considerou normal a preocupação registada pelos familiares dos angolanos residentes na China — na sua grande maioria estudantes — mas apelou à calma, afirmando que os casos de infectados continuam a diminuir de dia para dia.

Citado pelo Jornal de Angola, Gong Tao afirmou que existe uma orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para que não sejam realizadas movimentações de pessoas. “Respeitamos o desejo de evacuação mas, para nós, a situação já está a ficar estabilizada. É mais seguro ficar em casa. Este é o conselho da OMS. Ninguém sai e ninguém entra, para se evitar a contaminação”, afirmou.

O embaixador garantiu ainda existirem todas as condições para que não haja falta de bens essenciais aos cidadãos que se encontram em quarentena, deixando claro que não há distinção no tratamento entre nacionais e estrangeiros. “Os serviços sociais básicos estão garantidos. Há comida, bebida e materiais de higiene pessoal”, disse Gong Tao.

Durante a conferência de imprensa foram divulgados vídeos de dois estudantes angolanos na China a garantirem que estavam bem e que recebem o apoio das autoridades.

Por último, o embaixador adiantou ainda que prosseguem as investigações científicas para que se encontre uma vacina.

Relacionado