Ver Angola

Sociedade

Adolescente atinge suposto agressor sexual com 28 facadas

Uma adolescente, alegadamente vítima de abuso sexual há mais de dois anos, é acusada de ter atingido o suposto agressor, um homem de 55 anos, com 28 facadas, disse esta Terça-feira à Lusa fonte da polícia.

:

Segundo o porta-voz do comando provincial de Luanda da Polícia Nacional, Nestor Goubel, o facto ocorreu, na manhã de Segunda-feira, no município de Viana, nos arredores de Luanda.

Nestor Goubel disse que o homem já se encontra fora de perigo, depois de ter sido socorrido e submetido a duas intervenções cirúrgicas, enquanto a menor se encontra retida para ser presente ao Ministério Público.

O caso teve lugar numa hospedaria, onde o homem terá marcado encontro com a adolescente, de 17 anos, tendo sido atacado com uma faca, essencialmente na zona do tórax, quando se encontravam já no quarto.

Em declarações emitidas pela rádio pública angolana, a adolescente contou que "já estava cansada" de ser abusada sexualmente, sob ameaças de morte do seu agressor.

"Ele ameaçou fazer mal à minha família, às minhas irmãs, a minha mãe e até ao meu pai", acusou, salientando que o homem era supostamente amigo do seu pai.

De acordo com a adolescente, o agressor, que alegadamente é militar, ameaçava a menor com uma arma, garantindo que se a mesma o denunciasse "matava toda a família".

"Isso já está a acontecer de dois para três anos, eu não estava a aguentar, fiquei muito frustrada, não consegui mais aguentar isso", frisou.

Por sua vez, o director do hospital do Kapalanga, Luís Domingos, para onde foi socorrido, indicou que o lesado apresentava ferimentos graves, nomeadamente os localizados na região do pulmão e do coração.

"Tivemos que correr rapidamente com ele para o bloco operatório, onde procedemos a uma toracotomia, para drenar o sangue que estava acumulado em volta do coração e fizemos também a sutura das feridas que se encontravam no pulmão esquerdo", explicou.

Luís Domingos frisou que antes da cirurgia, o paciente fez uma paragem cardiorrespiratória e foi reanimado, voltando a ter nova paragem durante a operação, que exigiu outra reanimação.

"Agora está estável, encontra-se ainda entubado sob ventilação mecânica, até normalizar os seus parâmetros hemodinâmicos", referiu em declarações à rádio pública.