Academia Internacional de Gastronomia distingue Helt Araújo como Chef do Futuro

Foi Benguela que viu nascer a mais jovem promessa da gastronomia nacional. Ambição e talento são sinónimo de Helt Araújo. Apaixonado pela cozinha angolana, assistiu esta quinta-feira ao reconhecimento do trabalho e esforço de anos, com a Academia Internacional de Gastronomia a aprovar a sua distinção como Chef do Futuro para Angola.
:
  

Ao VerAngola, Helt explicou que “a Academia Angolana de Gastronomia foi criada em 2013 e reconhecida no ano passado como membro da Academia Internacional de Gastronomia”. Os seus objectivos passam por preservar a culinária tradicional e regional, contribuindo para a conservação da identidade gastronómica nacional e promovendo-a dentro e fora do país.

O Chef esteve esta semana em Paris, onde assistiu à Assembleia Geral e à Gala da Academia Internacional de Gastronomia, que anualmente distingue profissionais da área de vários países membros. Os prémios dividem-se em várias categorias, sendo que Angola propôs nomes para três delas. “As academias de cada país seleccionam os profissionais, de acordo com as categorias, que são depois aprovados ou não pela Academia Internacional”, explicou Helt Araújo, que foi considerado Chef do Futuro. João Gonçalves saiu distinguido na categoria de Literatura Gastronómica e Alcides Diamba foi considerado o Melhor Escanção. Apesar de não esconder o orgulho em relação a estas distinções, Helt Araújo diz que mais do que o reconhecimento do seu trabalho, estas escolhas implicam responsabilidade. “Não basta ter títulos, é preciso justificá-los”, afirma.

A Academia Angolana de Gastronomia foi ainda escolhida para organizar o próximo jantar de gala da instituição gastronómica internacional, que se realizará em 2016, em Paris, sob o comando do Chef. A gastronomia angolana vai estar em claro destaque através de um menu de degustação que será servido aos representantes dos 21 países membros da Academia Internacional de Gastronomia. “Durante alguns meses vou fazer pesquisa nas várias províncias angolanas, sobre a origem e história de cada prato. Mais do que um jantar, é pedido que estes menus transmitam uma mensagem”, explica.

Um restaurante com sabor a Angola

Xenú by Vestigius é o nome do projecto mais pessoal do Chef Helt Araújo. Esta é uma parceria entre o Chef angolano e o Vestigius, um conhecido Wine & Gin Bar lisboeta. A gastronomia angolana vai ser a joia da coroa do espaço, que planeia abrir portas em Dezembro, na Ilha de Luanda. “O principal objectivo é apostar na gastronomia angolana, na sua essência. Descobrir o sentido dos seus produtos e dar a conhecê-los internacionalmente, para que todo o mundo tenha acesso ao melhor que Angola tem para oferecer”.

A expectativa é grande e por isso, a aspiração a que este restaurante pudesse vir a ser a primeira estrela Michelin angolana começou a materializar-se. “Tínhamos essa pretensão, e fizemos alguns conctactos no sentido de saber o que era necessário. No entanto, o Guia Michelin ainda não é publicado em Angola, e só este ano chegaram por exemplo ao Brasil”, explicou o Chef ao VerAngola. “O que pretendo trabalhar é uma nova linha que faz frente às estrelas e que se chama The World's 50 Best Restaurants. O júri é mais amplo e aborda todos os continentes, procurando que a cozinha lhes transmita uma mensagem, que é exactamente o que pretendemos fazer”, acrescenta.

Mais Lidas