Ver Angola

Energia

Produção petrolífera deverá atingir os 1,3 milhões de barris por dia em 2021

O secretário de Estado dos Petróleos, José Alexandre Barroso, considerou que a produção petrolífera do país não está condicionada pela OPEP e estimou que a produção chegue aos 1,3 milhões de barris de petróleo por dia no final do próximo ano.

:

O responsável, que discursava esta Sexta-feira na abertura do Conselho Consultivo do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, em representação do ministro Diamantino Azevedo, explicou que a produção petrolífera deverá passar de 1 milhão e 249 mil barris de petróleo por dia para 1 milhão e 267 mil barris por dia em Janeiro do próximo ano. José Alexandre Barroso estima ainda que no final de 2021 a produção diária seja de 1 milhão e 319 mil barris de petróleo.

O responsável fez saber que este ajuste não coloca em causa "o volume de produção inscrito no Orçamento de Estado para 2021, ou seja, de 1 milhão e 220 mil barris".

Tendo em conta os dados apresentados, o secretário de Estado dos Petróleos, citado numa publicação feita no Facebook do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, considerou que os números "confirmam claramente que os níveis de produção de Angola não estão condicionados pelo volume de produção fixado pela OPEP, mas sim pelo declínio natural dos campos, suspensão da actividade de sondagem em 2020 motivada pela pandemia da covid-19 e pela ausência de investimentos na exploração em geral".

Para inverter a tendência e, com base nas perspectivas de crescimento da economia a nível mundial, para 2021, ano em que "Angola assumirá a presidência rotativa da organização, a OPEP reafirmou a reposição gradual" de dois milhões de barris de petróleo por dia, "com aumentos mensais não superiores a 500 barris por dia, em Janeiro", indicou.

No seu discurso, José Alexandre Barroso fez ainda saber que para o sector mineiro, o país prevê arrancar, no próximo ano, com os projectos das Terras Raras do Longonjo, no Huambo, e Quilengues, na Huíla.

A tutela "perspectiva ainda nesta legislação (2017-2022) iniciar com as obras de um polo logístico no Dundo, província da Lunda Norte", disse, acrescentando que este polo será "o embrião de uma futura indústria periférica à indústria extractiva que vai dar todo o suporte quer em termos de produtos de agro-indústria e insumos necessários à indústria mineira".

Realçou ainda que a Refinaria de Luanda está a ser remodelada, visando assim o aumento da produção de gasolina. Quanto à Refinaria do Lobito, indicou que estão a ser realizados novos estudos e que a sua construção deverá arrancar em 2022.

"A Refinaria de Cabinda está em construção e prevê-se a conclusão da 1.ª fase, no primeiro semestre de 2022". Já a Refinaria do Soyo está em concurso, estimando que a sua adjudicação seja feita no primeiro trimestre de 2021.

Relacionado