Ver Angola

Telecomunicações

Angola quer co-liderar telecomunicações na SADC

O Governo manifestou intenção de co-liderar as telecomunicações a nível da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), garantindo que desenvolve acções com esse propósito no âmbito do "Livro Branco das TIC 2019-2022”.

:

O posicionamento foi manifestado pelo director nacional das Telecomunicações, Pedro Mendes de Carvalho, referindo que o eixo de acções do sector contempla "dezoito iniciativas de infra-estruturas, conectividade e inclusão digital".

Segundo o dirigente, no Plano Nacional das Tecnologias de Informação, que emana do Livro Branco das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), também constam oito iniciativas de modernização tecnológica da administração pública, cinco de regulação e sete a nível de inovação.

O responsável falava, em Luanda, sobre “Infra-estruturas de Telecomunicações e Rede Nacional de Banda Larga" durante um encontro denominado "Café da Manhã com o Regulador", iniciativa do Instituto Angolano das Comunicações (INACOM).

Migração digital da televisão, aumento da concorrência e competitividade do mercado e o concurso para o quarto Título Global Unificado (TGU), que deve aprovar a entrada da quarta operadora de telefonia no país, centralizam igualmente as iniciativas do sector.

Pedro Mendes de Carvalho deu conta que no domínio da infra-estrutura existente, o mercado da telefonia móvel continua a ser dominado pela operadora Unitel com 82 por cento de cobertura seguido pela Movicel com 18 por cento.

Angola conta atualmente com mais de 14 milhões de utilizadores de telemóvel e com quase 7 milhões de subscritores de Internet, anunciaram as autoridades nesse encontro.

Quanto à Internet, o director nacional das Telecomunicações adiantou que a Unitel também domina o mercado, com 87 por cento, seguido da Movicel com 12 por cento e 1 por cento de outros operadores.

A rede fixa é liderada pela empresa pública Angola Telecom, enquadrada no Programa de Privatizações (ProPriv), com 58 por cento, enquanto na televisão por assinatura a operadora ZAP, detida por Isabel dos Santos, lidera o mercado com 69 por cento, seguida da DSTV (28 por cento) e TV Cabo (3 por cento).

"Oportunidades de Investimento no sector das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação" foi o lema do encontro que congregou na sede do INACOM, em Luanda, empresários e distintos operadores.