Partilhando o meu juízo

Um olhar sobre o uso da Internet em Angola


Um olhar sobre o uso da Internet em Angola

Valdemar Vieira Dias

Engenheiro Informático e Técnico de Marketing e Comunicação

O governo angolano tem envidado esforços na expansão da Rede de Mediatecas de Angola, já existentes em pelo menos seis províncias (Benguela, Huambo, Luanda, Lubango, Saurimo e Soyo), com serviços online de pesquisas integradas, biblioteca, leituras de e-books, etc. Consecutivamente a isto, disponibilizou pontos de acesso à internet (wifi) gratuitos em 20 artérias (1) da capital do país.
:
  

Entretanto, mesmo com todos estes esforços, ainda é muito longo o percurso que temos pela frente para atingir grandes taxas de penetração (2) comparativamente à Nigéria que possui (2016/2017) uma densidade populacional de 186.987.563 milhões de habitantes, dos quais 86.219.965 são utilizadores de internet (3), representando uma taxa de penetração de 46.1%. Ou seja, em cada 100 nigerianos (comparativamente ao percentual da taxa de penetração) quase metade usava neste período a Internet, dados que o tornavam no país africano com maior número de utilizadores da Web.

Quase um ano depois, verifica-se um aumento populacional de 8.887.674 (95,46%); aumento de 12.171.491 (87,62%) de utilizadores de internet e aumento da taxa de penetração de 4,1%.

NIGÉRIA

2016/2017

2017/2018

População (Est. 2017): 186.987.563

População (Est. 2018): 195.875.237

Utlizadores de Internet (31-12-2016): 86.219.965

Utlizadores de Internet (31-12-2017): 98.391.456

Taxa de Penetração (Popupação): 46.1%

Taxa de Penetração (Popupação): 50.2%

Fonte: www.internetlivestats.com

*Subscritores do Facebook (31-12-2017): 17.000.000

 

Fonte: www.internetworldstats.com

Dados interessantes, não é? Sim. E acima de tudo curiosos. Mas então, e nós Angola, como é que nós estamos? Que dados existem sobre os nossos internautas? Quantos de nós utiliza esta ferramenta, internet, cada vez mais indispensável para as nossas vidas ou para o nosso quotidiano? Quais são os nossos números?

De acordo com o relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicados em Março de 2016, sobre o Censo da População e Habitação em Angola, existiam no país 2.119.946 milhões de utilizadores de internet. Face ao índice populacional de Angola (25.789.024 de habitantes). Ou seja, em cada 100 angolanos apenas 8 usavam internet, isto porque a taxa de penetração era de apenas 8,2%.

A título de comparação procurei por dados actualizados do INE referentes a 2017/2018 mas sem sucesso! Logo, recorri a outra fonte (internacional) aonde demonstra um aumento populacional de 4.985.181 (83,8%) e aumento de 3.845.507 (35,53%) de utilizadores de internet e ainda da taxa de penetração de 11,1%.

ANGOLA

2015/2016

2017/2018

População (Est. 2016): 25.789.024

População (Est. 2018): 30.774.205

Utlizadores de Internet: 2.119.946

Utlizadores de Internet (31-12-2017): 5.965.453

Taxa de Penetração (Popupação): 8.2%

Taxa de Penetração (Popupação): 19.3%

Fonte: www.ine.gov.ao

*Subscritores do Facebook (31-12-2017): 3.800.000

 

Fonte: www.internetworldstats.com 

Um novo dado bastante interessante é agora considerado. O número de subscritores da maior rede social, o Facebook em que 17.000.000 e 3.800.000 representam Nigéria e Angola, respectivamente.

Será que estamos bem? A resposta é não! Apesar dos esforços do Governo ainda estamos longe comparativamente a Nigéria.

Não obstante o empenho do governo angolano que passa, por exemplo, pelas iniciativas como: a realização de projectos de investigação científica; o reforço da digitalização de serviços; o acesso livre à Internet pelos estudantes e docentes; a criação de uma rede de troca de informações e dados entre instituições de ensino superior; dentre outras.

O mesmo empenho tem sido conjunto, também, e essencialmente, pelo empresariado privado angolano que de mãos dadas com outras empresas privadas internacionais têm desenvolvido projectos bastante ambiciosos para o efeito. Falo, por exemplo, do Africacom 2018 – o maior evento de telecomunicações, tecnologia e inovação no continente africano, realizado na Cidade do Cado – aonde a nossa Angola Cable e a Broadband Infraco (sul-africana) estabeleceram um acordo que permitirá a expansão do acesso à Internet em África.

Em resumo, penso que estes esforços conjuntos devem continuar para que efectivamente tenhamos mais acesso à internet e seus serviços com boas larguras de banda, velocidades navegáveis e preço justo.


(1)  https://www.menosfios.com/conheca-zonas-com-internet-wi-fi-gratuita-em-luanda/

(2)A taxa de penetração de um produto, ou serviço, consiste na percentagem de compradores que comprou o produto, pelo menos uma vez, durante um determinado período de tempo considerado para análise. Ou seja a taxa de penetração é a percentagem em termos do número de potenciais clientes desse mesmo mercado.

(3)Pessoa que pode aceder à Internet a partir de casa e através de quaisquer tipos de dispositivo ou conexão.

(4) http://www.internetlivestats.com/internet-users/angola/

Mais Lidas