Luanda tem Árvore de Natal ecológica feita de garrafas de plástico

Em linha com a sua estratégia de desenvolvimento sustentável, o Banco Económico partilhacom a sociedade angolana uma Árvore de Natal gigante, inteiramente produzida com garrafas de plástico, que vai ficar patente na fachada principal do edifício sede do banco até 6 de Janeiro, Dia de Reis. Esta instalação será também o ponto de encontro para a apresentação de diversas actividades alusivas à quadra natalícia, das quais se destacam o showcase do cantor Miguel Buila e interpretações de cânticos, por parte de grupos corais de inúmeras instituições, da cidade de Luanda.
:
  

O Natal é uma das celebrações mais especiais do ano. A par das festividades da época ocorre também um pico de consumo, que gera resíduos adicionais e um consequente aumento do impacto ambiental. Este ano, o Banco Económico propõe um Natal mais ecológico e a revisitação dos verdadeiros conceitos desta quadra, que são imateriais e apelam aos valores essenciais da humanidade.

Com o objectivo de sensibilizar os colaboradores e a sociedade para a importância da reciclagem e para a adopção de hábitos de consumo mais sustentáveis, o Banco Económico construiu uma Árvore de Natal, de cerca de seis metros de altura, com mais de 700 garrafas usadas de plástico - recolhidas entre os trabalhadores do banco - para demonstrar que os resíduos podem, e devem, ser reciclados e transformados em novos objectos, com novas utilizações e funcionalidades.  

A decoração da árvore integra diversas bolas, cada uma com uma palavra que remete para os principais conceitos desta quadra. Para além disso, ao longo de duas semanas, a Árvore de Natal do Banco Económico vai ser o ponto de encontro de diversas apresentações musicais, com cantores e grupos corais a entoarem canções de Natal, numa partilha do espírito natalício com a sociedade de Luanda, que não deixará ninguém indiferente, refere um comunicado remetido ao VerAngola.

Esta Árvore de Natal ecológica foi produzida e montada pela Associação de Profissionais e Amigos do Combate à Pobreza (APACP), uma instituição que já produz e comercializa inúmeros objectos feitos a partir de materiais reciclados, para lhes dar uma nova vida e valorização económica.

"O banco tem vindo a desenvolver a sua estratégia de responsabilidade social com o objectivo de facultar o seu contributo, em termos de cidadania corporativa, para ajudar à resolução dos principais problemas da sociedade. A sustentabilidade ambiental é um dos maiores desafios da actualidade, em termos globais. Com esta iniciativa, o Banco Económico pretende sensibilizar os seus colaboradores, e a sociedade angolana, para a preservação ambiental e para importância dos princípios básicos de reciclagem de resíduos. Este é um aspecto fundamental para a promoção da Economia Circular e para potenciar o desenvolvimento económico do País. Garantir um futuro mais sustentável passa, também, por promover um Natal mais sustentável", afirma Katyana Mil- Homens, da Direcção de Responsabilidade Social do Banco Económico.

Agenda das intervenções musicais | Edifício sede Banco Económico | Rua do 1º Congresso do MPLA, nº 8, Ingombotas, Luanda

 

  • 14 Dezembro, entre as 18h30 e 19h00- Coro Central da Galileia 
  • 17 Dezembro, entre as 18h30 e 19h00 - Coro Jovem
  • 19 Dezembro, entre as 18h30 e 19h00 - Coro São José
  • 21 Dezembro, entre as 18h30 e 19h00 – Coro Gospel Luzério

Mais Lidas

Cláudia Rodrigues Coutinho:
De Luanda para o Mundo