Presidente de Itália prevê visita oficial a Luanda “o mais brevemente possível”

O Presidente de Itália, Sérgio Mattarella, prevê visitar Angola em breve, retribuindo a deslocação a Roma realizada este ano pelo seu homólogo, anunciou hoje em Luanda a ministra da Defesa italiana.
Angop:
    Angop

Roberta Pinotti falava à imprensa, à saída da audiência concedida pelo Presidente José Eduardo dos Santos, no âmbito da visita oficial que a governante está a realizar a Luanda.

Segundo a ministra italiana, depois das recentes visitas de José Eduardo dos Santos a Itália e do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, a Angola, as relações entre os dois países "intensificaram-se bastante".

"O Presidente de Itália pediu-me que fosse portadora das suas saudações ao Presidente de Angola e manifestar a sua disponibilidade de visitar Angola o mais brevemente possível", frisou.

A governante italiana disse ainda que existem entre os dois países importantes projectos relacionados com a formação, que dizem respeito à saúde no ramo militar e que também dizem respeito à segurança marítima.

"Nós gostaríamos de enquadrar esses aspectos todos numa relação entre os dois Governos e que estes aspectos sejam transformados numa cooperação estável e duradoira", referiu.

Relativamente à conferência internacional sobre segurança marítima que o nosso país organiza em Outubro, Roberta Pinotti congratulou-se com a iniciativa e ofereceu “o máximo apoio, seja técnico ou político".

Antes da audiência com José Eduardo dos Santos, Roberta Pinotti, que chegou no domingo a Luanda para uma visita de trabalho de 48 horas, reuniu-se com o seu homólogo, João Lourenço, com o qual abordou aspectos sobre a cooperação bilateral.

João Lourenço sublinhou que apesar de a cooperação entre os dois países ser multifacetada, Angola pretende prestar particular atenção ao sector da Defesa.

"A Itália é um país que tem bastante experiência no domínio da marinha de guerra, além de estarmos interessados na cooperação militar em todos os domínios, gostaríamos de particularizar essa área da marinha de guerra, da segurança marítima no nosso país e porque não nesta região do Golfo da Guiné", disse João Lourenço.

A área da formação de quadros militares e a possibilidade de cooperação na área das indústrias da defesa é outra de interesse para Angola, apontou ainda o ministro.

"A Itália é um país bastante industrializado e gostaríamos de poder contar com essa vossa experiência", rematou João Lourenço.

Mais Lidas