Ver Angola

Indústria

Pólo Industrial de Viana recebe duas novas fábricas em 2021. Unidades vão criar 600 novos empregos

A partir de 2021, o Pólo Industrial de Viana vai passar a contar com duas novas fábricas de materiais eléctricos. As unidades são resultado de um investimento de mais de cinco milhões de dólares da empresa Karam Industrial e vão criar 600 novos postos de trabalho.

:

Inicialmente, a Karam Industrial investiu cerca de três milhões de dólares para avançar com uma fábrica de produção de materiais eléctricos. Agora, a empresa prevê investir mais dois milhões para instalar fornos industriais e implementar um segmento de fabrico de contraplacado para reduzir a quantidade de madeira exportada a grosso.

Este investimento, de acordo com o director técnico da empresa, Shadab Husam, tem como objectivo aumentar a capacidade de produção da empresa. A meta é passar a produzir cerca de 40 toneladas de cabos eléctricos domésticos e industriais de aço e pregos, em vez das 25 toneladas actuais.

Este aumento da produção, de acordo com Shadab Husam, citado pelo Jornal de Angola, visa dar resposta à elevada procura: "Nós precisamos de aumentar a produção de alumínio, pregos e cabos eléctricos. Os nossos produtos são consumidos até no exterior e isso deixa-nos mais satisfeitos".

O director técnico revelou que o investimento vai permitir criar 600 novos postos de trabalho. Os novos trabalhadores vão ser divididos por turnos, uma vez que o objectivo da empresa é garantir que a produção nunca pára, sendo que as máquinas vão trabalhar 24 horas por dia sem interrupções. 

A Karam Industrial emprega actualmente 470 trabalhadores, dos quais 95 por cento são angolanos. 

O director fez ainda saber que a empresa tem 28 pontos de recolha de sucatas em Luanda, Cabinda e Benguela. O objectivo é recolher latas para garantir a matéria-prima para fabricar os materiais eléctricos. Quanto ao segmento de fabrico, a empresa vai contar com a colaboração de madeireiros nacionais legalmente autorizados para fornecerem essa matéria-prima.