Ver Angola

Comércio

Primeiro semestre trouxe poupança na ordem dos 300 milhões com importação de alimentos

Angola continua a fazer um esforço por privilegiar produtos locais, em detrimento da importação. Prova disso é uma poupança na ordem dos 300 milhões de dólares no primeiro semestre deste ano no campo da importação de bens alimentares.

:

Os dados foram avançados esta Quinta-feira, em Luanda, pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior. Segundo o governante, nos primeiros seis meses de 2020, Angola consumiu 980 milhões de dólares em produtos alimentares importados, contra os 1,3 mil milhões do mesmo período em 2019. Estes números traduzem uma poupança superior a 300 milhões de dólares.

O ministro justificou estes números com a estabilização do mercado cambial. O facto de existir uma variação da taxa de câmbio e uma maior depreciação da moeda nacional tornou as importações mais caras, obrigando os agentes económicos a apostar na produção nacional, desistindo da importação.

Manuel Nunes Júnior anunciou ainda que foram já aprovados mais de cinco centenas de pedidos de financiamento, ao abrigo das iniciativas do Programa de Apoio ao Crédito, com destaque para o financiamento de mais de 300 cooperativas dos ramos da agricultura, pecuária e pescas. De acordo com Angop, o total disponibilizado ultrapassa os 140 mil milhões de kwanzas.

Referiu ainda que o Programa Integrado de Desenvolvimento do Comércio Rural, aprovado este ano, permitirá que a produção chegue aos grandes centros de consumo, uma forma de criar riqueza para os produtores, eliminar o desperdício e mais uma vez reforçar a aposta na produção nacional.