Candidatos do MPLA às autárquicas devem mostrar compromisso e competência

O presidente do MPLA, João Lourenço, defendeu que os candidatos do partido às eleições autárquicas angolanas devem obedecer a critérios objectivos de competência, idoneidade, compromisso com o trabalho e aceitação junto dos cidadãos.
Ampe Rogério:
    Ampe Rogério

A posição foi expressa na abertura da VI reunião ordinária do Comité Central do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido no poder desde 1975.

Na sua intervenção de mais de 20 minutos, em que abordou outros vários aspectos do país, João Lourenço fez também referência às primeiras eleições autárquicas de Angola, previstas para 2020 e cujo processo de organização está em curso.

Segundo João Lourenço, o pacote legislativo autárquico, depois de ter sido submetido à consulta popular, estará agora à disposição os deputados à Assembleia Nacional para análise, debate, votação e aprovação.

O também chefe de Estado referiu que a proposta do executivo prevê para o seu arranque, como uma primeira experiência, a realização em apenas alguns dos 164 municípios de Angola, em número a definir, por entendimento entre as forças políticas no parlamento.

Sobre esta proposta do Governo, os partidos da oposição e alguns sectores da sociedade civil, entre os quais a igreja católica, já manifestaram posição contrária, defendendo a sua implementação em simultâneo.

"Contrariamente aos receios levantados com relação a um eventual estímulo às assimetrias regionais, este perigo não se coloca, porquanto, haverá eleições autárquicas em todas as províncias do país, simplesmente em alguns municípios de cada província, até que num período não superior a dez anos da realização das primeiras, se cubram os 164 municípios com o poder autárquico", disse o líder do MPLA.

João Lourenço lembrou que se trata de um processo novo para todos e por isso têm a obrigação de procurar conhecer todo o processo autárquico, estudando-o, trocando experiências com aqueles países onde este tipo de poder está implantado há anos e funciona normalmente, e com vantagens para as populações que habitam os respectivos municípios.

Aos membros do partido, João Lourenço exortou que se preparem convenientemente para estas eleições autárquicas, planificando todas as acções a realizar, por forma a evitar improvisos e trabalho sobre a pressão do tempo.

"Quando chegar o momento, o processo de selecção e de formação dos candidatos a presidentes de câmara, deve obedecer a critérios objectivos de competência, idoneidade, compromisso com o trabalho, aceitação junto dos cidadãos do município, entre outros", frisou.

Mais Lidas