Prémios Sirius: Refriango é Empresa do Ano em noite de celebração do talento angolano

A excelência, o talento e as boas práticas voltaram a ser distinguidas na Gala da sexta edição dos Prémios Sirius, promovidos pela Deloitte. Membros do executivo, gestores, empresários e investidores juntaram-se esta Quinta-feira em Luanda, para homenagear as organizações e personalidades que mais se destacaram na comunidade empresarial angolana em 2015.
:
  

“Os Prémios Sirius têm tido a preocupação de se adaptarem aos muitos e complexos desafios que se têm colocado à economia de Angola, por forma a que os próprios prémios que atribuímos sejam um instrumento de dinamização e estímulo ao desempenho e constituam factores de criação de riqueza sustentável,” revelou o Manuel Nunes Júnior, Presidente do Júri dos Prémios Sirius, no seu discurso de abertura.

Referindo-se à importância do Prémio Melhor Empresa Exportadora, novo nesta edição, o Presidente do Júri destacou que “a economia angolana precisa, mais do que nunca, de ver desenvolverem-se empresas capazes de levar além-fronteiras o que de bom se faz entre nós, contribuindo para a criação de novos postos de trabalho, para a obtenção de divisas, para o equilíbrio da balança comercial do país e para o desenvolvimento de pólos de conhecimento capazes de modernizarem o país e oferecerem às novas gerações novas oportunidades.”

Durante a sessão de abertura, Rui Santos Silva, Presidente da Deloitte em Angola, referiu que “a cada edição, e com o apoio dos agentes económicos, estes prémios têm assumido um importante papel na promoção de uma cultura empresarial de excelência, uma cultura reconhecida pelas economias regionais e mundiais, que ajude a impulsionar o investimento e o crescimento económico.”

“É no contexto de desafios que nos tornamos mais astutos, que revelamos o melhor que temos e sabemos, que fazemos a diferença. Temos a sorte de poder contribuir para moldar o futuro, e vamos poder orgulhar-nos de ter feito parte da construção de um caminho de progresso”, conclui.

Os vencedores da 6ª edição dos Prémios Sirius foram seleccionados por um corpo independente e isento de jurados, presidido por Manuel Nunes Júnior, e do qual fazem parte Henda Inglês, José Severino, Laurinda Hoygaard, Manuel Alves Monteiro e Vera Daves.

Prémio Melhor Programa de Desenvolvimento do Capital Humano - Grupo Zahara

“Particular destaque que sensibilizou o Júri foi a criação de uma academia de formação, valorizando quadros nacionais, desenvolvendo um virtuoso Programa de identificação e gestão de talentos. É, estamos seguros, uma excelente aposta no futuro da empresa, na valorização de quadros, na qualidade dos serviços prestados”.

Estavam nomeados para esta categoria: Refriango, Shoprite, Standard Bank Angola, Unitel e Grupo Zahara.

Prémio Melhor Programa de Responsabilidade Social - BIOCOM

“Este ano, o Júri quis destacar dentre os excelentes exemplos que analisou, o Programa desenvolvido pela BIOCOM, uma empresa que, apesar de jovem, tem já uma preocupação social de registo, em particular no que se refere à implementação de programas assistenciais, e iniciativas de formação e de informação, dirigidos às comunidades locais”.

Indicadas para esta categoria estavam as empresas: Banco de Fomento Angola, BIOCOM, BP – British Petroleum, Chevron, Endiama, Total e Unitel.

Prémio Melhor Investimento Directo Estrangeiro - Nampak Bevcan Angola (também conhecida por Angolata)

“Tendo como objectivo poder a curto prazo ter uma capacidade de armazenamento de 120 milhões de latas de alumínio, a Nampak Bevcan Angola é um exemplo de sucesso de um investimento estrangeiro responsável por criação de emprego, transferência de conhecimento e contribuição sustentável para o equilíbrio da balança comercial do país, pela via da substituição de importações”.

O vencedor é seleccionado directamente pelo júri, sem recurso a lista de nomeados.

Prémio Melhor Empresa Exportadora - Vidrul

“Trata-se de uma empresa que tem tudo para ser uma excelente referência para todos nós, enquanto projecto empresarial gerido com práticas de excelência, com a ambição de ser uma empresa dirigida não somente ao mercado nacional mas também afirmando os seus produtos no competitivo mercado internacional das embalagens, nomeadamente, das embalagens de vidro”.

 Estavam nomeadas as empresas: Agrolíder, Angostone e Vidrul.

 Prémio Empreendedor do Ano - Elizabete Dias dos Santos, Grupo Diside

“A empresária Elizabete Dias dos Santos tem projectos ambiciosos de expansão dos seus negócios, com destaque para o sector do tratamento e congelamento de peixe, já em fase de desenvolvimento, prevendo mais do que duplicar o volume de negócios actual nos próximos três anos. Adicionalmente, o Grupo, apesar de muito jovem, revela já preocupações de responsabilidade social, apoiando a comunidade com oferta de ovos e frangos e com programas de limpeza do mar e de bairros sociais”.

Para esta categoria estavam nomeados: Adérito Areias (Grupo Adérito Areias), António Branquinho Maia (Grupo Equador), Bartolomeu Dias (Grupo Bartolomeu Dias), Elizabete Dias dos Santos (Grupo Diside), Luís Silva (AJS Transportes e Turismo), Nélson Carrinho (Grupo Leonor Carrinho) e Silvestre Tulumba (Grupo S. Tulumba).

Prémio Melhor Relatório de Gestão e Contas do Sector Não Financeiro - Griner

“A empresa homenageada é uma boa referência nesta matéria, até pela qualidade da peça informativa que publicou, que constitui um bom exemplo a ser seguido”.

Da lista de nomeados faziam parte as empresas: EPAL, Griner, Omatapalo e Sociedade Mineira de Catoca.

Prémio Melhor Relatório de Gestão e Contas do Sector Financeiro BAI – Banco Angolano de Investimentos

“O Júri entendeu atribuir este Prémio ao BAI – Banco Angolano de Investimentos que, pelo segundo ano consecutivo, expõe publicamente uma peça informativa da actividade desenvolvida e da situação económico-financeira que sobressai pelos elevados padrões de rigor e qualidade”.

Estavam nomeados nesta categoria as empresas: Banco Angolano de Investimentos, Banco BIC, Banco Caixa Angola, Banco de Fomento Angola, Banco Keve, Nossa Seguros e Standard Bank Angola.

Prémio Empresa do Ano do Sector Não Financeiro - Refriango

“O Júri entendeu atribuir este prestigiante prémio a uma empresa de direito angolano que tem sabido afirmar-se pela inovação e qualidade dos produtos, pela relação envolvente e próxima com o mercado e com os clientes, pela qualidade de políticas de gestão de talento e de responsabilidade social, sinais evidentes de vivência de boas práticas de governação e de gestão”.

Faziam parte da lista de nomeados nesta categoria as empresas: BIOCOM, CUCA BGI, Griner, Grupo Diside, Omatapalo, Refriango, Unitel e Grupo Zahara.

Prémio Empresa do Ano do Sector Financeiro - Banco Comercial do Huambo e Banco de Fomento Angola

“Sendo embora instituições com dimensão bem distinta, o certo é que ambas revelaram pautarem-se por critérios de rigor e qualidade que são dignos de registo. Hoje, como nunca no passado, a economia angolana necessita de instituições financeiras sólidas, bem geridas e sustentáveis, capazes de serem agentes dinâmicos de financiamento da economia nacional.”

Estavam indicados para esta categoria as empresas: Banco Comercial do Huambo, Banco Caixa Angola, Banco de Fomento Angola e Banco BIC.

Prémio Gestor do Ano - Rui Cruz, Imogestin

“O Dr. Rui Cruz é, como pessoa e profissional, por todos respeitado e admirado, constituindo uma boa referência para a classe gestora nacional, seja pela dedicação à causa pública e ao interesse colectivo, seja pela forma criteriosa como exerce as funções que lhe foram cometidas ao longo do assinalável percurso profissional já registado.”

Dos nomeados nesta categoria faziam parte as seguintes personalidades: David Viela (GE Angola), José de Lima Massano (BAI), Manuel Monteiro (Fertiangola), Mário Palhares (BNI), Rui Cruz (Imogestin) e Rui Santos (Sistec).

Galeria

Mais Lidas