Divisas nos bancos voltam a cair mas garantem salários de expatriados

A injecção de divisas pelo Banco Nacional de Angola (BNA) na banca comercial desceu 7,5 por cento na última semana, para 209,7 milhões de euros, nomeadamente para importar alimentos e garantir a transferência de salários de trabalhadores expatriados.
:
  

A informação consta do relatório semanal do BNA, libertado hoje, sobre a evolução dos mercados monetário e cambial entre 17 e 21 de Outubro, contrastando desta forma com os 226,7 milhões de euros da semana anterior, que já tinha caído, então, mais de 30 por cento.

Segundo o documento, consultado pela Lusa, as divisas disponibilizadas – mantêm-se exclusivamente em euros desde Março –, em vendas directas equivalentes a 234,3 milhões de dólares, destinaram-se a cobrir a importação de bens alimentares (93,3 milhões de euros) e a garantir as necessidades de várias empresas (17,7 milhões de euros), além de distribuir 35,8 milhões de euros em leilão de preços para a cobertura de operações do sector petrolífero.

Há ainda registo de pagamentos para cobrir operações de viagens, ajuda familiar, saúde e educação no estrangeiro (17,9 milhões de euros) ou para cobertura de operações de salários dos expatriados (8,9 milhões de euros).

A taxa de câmbio média de referência de venda do mercado cambial primário, apurada ao final da última semana, permaneceu praticamente inalterada, nos 166,722 kwanzas por cada dólar e nos 186,276 kwanzas por cada euro.

Contudo, no mercado de rua, a única alternativa, embora ilegal, face à falta de divisas aos balcões dos bancos, cada dólar norte-americano custa à volta de 500 kwanzas.

Mais Lidas