Ver Angola

Banca e Seguros

Bancos centrais em negociação para uso das moedas chinesa e angolana em ambos os países

Os bancos centrais de Angola e da China estão a acertar os pormenores de um acordo que vai permitir o uso das moedas nacionais de ambos os países, nas trocas comerciais bilaterais.

:

O governador do Banco Nacional de Angola, José Pedro de Morais, disse que esse acordo vai trazer "muitas vantagens" quando estiver implementado.

"A moeda chinesa hoje é uma moeda vastamente utilizada nas trocas comerciais internacionais e vamos ter muitas vantagens quando este acordo poder ser utilizado", referiu José Pedro de Morais, em declarações divulgadas hoje pela rádio pública angolana.

O acordo, cujo anúncio da sua negociação foi feito em Agosto passado, pela ministra do Comércio de Angola, Rosa Pacavira, vai permitir que os agentes económicos de ambos os países possam usar a moeda chinesa em Angola e a angolana na China, facilitando as trocas comerciais.

"Hoje em dia, há um apoio muito grande das instituições financeiras internacionais a este tipo de acordos, porque ele permite garantir que o comércio externo se continue a fazer sem recurso a uma terceira moeda, que neste caso seria o dólar", frisou o governante angolano.

Em Agosto, Rosa Pacavira anunciou que o kwanza ia valer na China, o renminbi (moeda chinesa ou yuan) em Angola.

Rosa Pacavira considerou, na altura, o acordo uma mais-valia pelo facto de Angola estar a enfrentar uma quebra nas suas receitas fiscais, com a exportação de petróleo, que afetou o mercado cambial, devido à redução da cotação internacional do barril de crude e na entrada e divisas no país.

"Nenhum país aceitou fazer isso, só foi a China. Isto é um dos grandes benefícios. A moeda vai valer em ambos os países", sublinhou a ministra.