Ver Angola

Telecomunicações

Angosat-2: 45 técnicos angolanos acompanham construção na Rússia. Lançamento em Março

O satélite Angosat-2, que está a ser desenvolvido na Rússia e conta com a ajuda de 45 técnicos angolanos, deverá ser lançado para o espaço em Março de 2022.

:

O lançamento deverá acontecer no primeiro semestre de 2022, garantiu fonte do Ministério da Ciência e Tecnologias de Informação e Comunicação Social. Citada pelo O País, a fonte explicou que em matéria espacial é sempre preciso ter em conta os factores meteorológicos no acto de lançamento, mas assegurou que o Angosat-2 deverá entrar no espaço ainda durante o primeiro semestre de 2022.

Parte da equipa que está a fabricar o satélite é angolana, referiu Zolana Rui João, director-geral do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN). No total, participam no projecto 45 técnicos angolanos, dos quais 15 engenheiros, que têm acompanhado e auxiliado os russos na fase final de construção do Angosat-2.

O responsável fez ainda saber que o processo de construção entrou numa fase importante: está a ser terminada a parte que alberga a carga útil, a zona das antenas e o sistema de comunicação que permitirá ao satélite comunicar com a Terra.

Em Outubro deste ano, a empresa Sistemas Informacionais de Satélites Reshentev enviará o satélite para a Europa para que sejam inseridos todos os componentes necessários para que a comunicação entre o satélite e a Terra seja fiável.

"Confirmo que o trabalho sobre o satélite já nos foi passado e voltamos a confirmar o prazo estabelecido de lançamento do aparelho em Março de 2022", afirmou ao site de notícias russo Sputniknews o director-geral da empresa Sistemas Informacionais de Satélites Reshentev.

O lançamento deverá ser feito a partir de Baikonur, no Cazaquistão.

Recorde-se que a Rússia e Angola já tinham celebrado um acordo para a produção de um primeiro satélite, o Angosat-1. Contudo, depois de ter sido lançado para o espaço em 2017, o aparelho perdeu contacto com a Terra. Desse modo, surgiu, em 2018, um novo acordo para a construção de um segundo satélite, com o objectivo de substituir o Angosat-1.

Relacionado