Ver Angola

Economia

Inflação aumentou para 22,17 por cento em Julho

O Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) em Angola subiu para 22,93 por cento em Julho, um acréscimo de 5,69 pontos percentuais face ao período homólogo, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

:

A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento de preços com 1,02 pontos percentuais durante o mês de Julho, seguida das classes “Bens e Serviços Diversos” (0,14 pontos), “Vestuário e Calçado” (0,13) e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” (0,12).

O INE detalhou ainda a incidência inflaccionária de 24 produtos seleccionados do cabaz de compras que mais contribuíram para a taxa de variação do IPCN, que, no seu conjunto, representam 7 por cento do total, mas concentram cerca de 45,88 por cento da taxa global de variação da inflação.

Entres estes, destacam-se os aumentos dos serviços de táxi colectivo, massa de tomate, creme corporal e pano ‘superwax’. Alimentos como arroz, óleo de soja, frango, carne bovina, cebola, sal e pão carcaça tiveram variações superiores a 2 por cento.

Em termos mensais, a inflação registou uma variação de 1,78 por cento, entre junho e julho de 2020.

Tendo como referência a província de Luanda, a taxa de inflação registada no período de Junho a Julho de 2020 foi de 1,83 por cento, cerca de 0,13 pontos percentuais inferior à registada no período anterior.

A variação homóloga situou-se nos 22,17 por cento, ou seja, um acréscimo de 4,58 pontos percentuais face ao período anterior.

Os bens e serviços que registaram as taxas mais elevadas pertencem às classes “Hotéis, Cafés e Restaurantes”, com 2,82 por cento, “Bens e Serviços Diversos”, com 2,09 por cento, “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas”, com 2,08 por cento, e “Bebidas Alcoólicas e Tabaco”, com 2,03 por cento.