Ver Angola

Política

João Lourenço propõe “cooperação estratégica” com a Turquia e pede mais investimento

O Presidente propôs esta Quarta-feira, na Turquia, “uma cooperação estratégica” entre os dois países, pedindo mais investimento privado turco em Angola, para que ajude na diversificação da economia.

:

"Angola pretende fortalecer as suas relações económicas, financeiras e empresariais com a Turquia e estabelecer as bases de uma cooperação estratégica entre os dois países", afirmou João Lourenço no Fórum Empresarial Angola-Turquia, que decorreu durante a sua visita a Ancara.

O objectivo é claro: "Pretendemos atrair investidores da Turquia que tragam à nossa economia não só capital financeiro e tecnologia avançada, mas que tragam sobretudo 'know-how', que nos permita diversificar e aumentar com rapidez e eficiência a produção interna de bens e de serviços".

O chefe de Estado salientou que o seu país tem vindo a realizar "reformas económicas e financeiras, com vista à estabilização macroeconómica, criando as condições para um crescimento em bases mais sustentadas".

João Lourenço destacou as "medidas legais de simplificação e facilitação de processos burocráticos" e a melhoria do "ambiente de negócios", procurando atrair para Angola "um maior volume de investimento privado estrangeiro".

A nova legislação sobre o investimento privado, assim como a política cambial, "reduziram drasticamente os entraves ao investimento e garantem maior protecção legal aos investidores estrangeiros, permitindo-lhes transferir para o exterior os seus dividendos e lucros, em tempo oportuno", recordou o governante.

No encontro, os dois Governos assinaram um Acordo de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos, "um instrumento legal que vai dar maior confiança e segurança jurídica aos investidores" dos dois países.

Além de áreas tão diversas como a agropecuária, silvicultura, pescas, recursos minerais ou turismo, João Lourenço admitiu que Angola tem um "particular interesse em acolher investimentos de empresas turcas na área da indústria de produção de materiais de construção, montagem de automóveis e motorizadas, de produtos electrónicos e electrodomésticos", entre outras prioridades.

Hoje em dia, "já contamos com alguns investimentos turcos de grande dimensão, particularmente na exploração do minério de ferro e produção do aço", mas "dispomos de outros minérios, como o ouro, o cobre, e metais raros por explorar", salientou o governante angolano, que falou também no pacote de empresas públicas a privatizar.

Os concursos públicos para construção e gestão de equipamentos foram outros dos destaques de João Lourenço no seu discurso aos empresários turcos.

Hoje, Angola tem um "ambiente de estabilidade e segurança prevalecente", com "elevado potencial de rentabilidade", resumiu João Lourenço.

Os investimentos turcos em Angola atingem actualmente 200 milhões de dólares, valor que o Presidente espera aumentar a médio prazo.

João Lourenço, que se encontra de visita à Turquia para impulsionar as relações económicas dos dois países, será ainda recebido pelo Presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan.

Entre 2015 e 2020, Angola comprou à Turquia bens no valor de 1,7 mil milhões de dólares, enquanto as exportações angolanas para a Turquia não superaram os 42 milhões de dólares.

Relacionado