Ministro da agricultura não avança datas para alcance da autossuficiência alimentar

O Governo quer alcançar a autossuficiência alimentar para "garantir uma soberania segura", mas, apesar das acções em curso, como o apoio à agricultura familiar, “não tem ainda um horizonte temporal" para alcançar esta meta, disse fonte oficial.
:
  

"Estaria a mentir se lhe disser que daqui a um, dois ou três anos vamos atingir autossuficiência alimentar, temos é que trabalhar para resolver aqueles que são os pressupostos fundamentais para o desenvolvimento de qualquer agricultura", disse aos jornalistas o ministro da Agricultura e Florestas, Marcos Nhunga.

"A abordagem e o objectivo que o executivo tem é atingirmos a autossuficiência alimentar, tenho estado a referir muitas vezes isso porque um país sem autossuficiência e segurança alimentar não tem uma soberania segura", apontou.

Segundo o governante, que falava à margem da abertura oficial da 35.ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA), que decorre até Sábado em Luanda, "várias acções" estão já em curso com vista ao alcance da autossuficiência alimentar.

Referiu que são acções constantes na linha programática do sector que dirige, nomeadamente do "apoio à agricultura familiar, ao setor empresarial".  "Mas dizer-lhe para quando, é muito difícil, porque há muitos factores que emperram o desenvolvimento da nossa agricultura e temos que ir resolvendo esses problemas paulatinamente", admitiu.

A edição 2019 da FILDA, que decorre sob o lema "Dinamizar o Setor Privado e Promover o Crescimento Económico, conta com a participação de 22 país, incluindo Portugal, convidado pela organização, e a Bielorrússia, que se estreia no certame.

Para Marcos Nhunga, a feira "é a demonstração do potencial que Angola tem em vários domínios, daquilo que se está a fazer no país e o que se poderá fazer no futuro. Esta é a montra onde nacionais e estrangeiros podem criar parcerias e negócios", frisou.

O evento, que decorre na Zona Económica Especial Luanda- Bengo, a 25 quilómetros do centro da capital, é promovido pelo Ministério da Economia e Planeamento e congrega 785 expositores.

Mais Lidas