Ver Angola

Transportes

Cerca de 40 por cento do financiamento do Plano Director de Transportes será privado

Cerca de 40 por cento do financiamento total do Plano Director Nacional do Sector dos Transportes e Infra-estruturas Rodoviárias (PNDNSTIR 2019-2038) será privado. O plano está avaliado em mais de 30 mil milhões de dólares, dos quais cerca de 12 mil milhões serão financiados pelo sector privado.

:

Segundo dados avançados pelo Expansão, mais de metade do valor total do financiamento será assegurado por investimentos públicos. Dos 30,3 mil milhões de dólares, 12,4 mil milhões (41 por cento) dizem respeito a investimento privado enquanto os restantes 17,9 mil milhões (59 por cento) provêm de investimento público.

O PNDNSTIR 2019-2038, que está a ser desenvolvido pelos ministérios dos Transportes e das Obras Públicas e Ordenamento de Território, vai ser executado em três fases: a primeira arrancou em 2018 e vai prolongar-se até 2023, a segunda vai estender-se de 2024 a 2029 e a última fase será até 2038. Contudo, os projectos poderão demorar mais anos do que os previstos até serem acabados.

Na primeira fase, ou seja até 2023, deverão ser gastos 10,1 mil milhões de dólares na implementação do plano, dos quais 6,3 mil serão sustentados pelo Executivo.

Segundo o Ministério dos Transportes, citado pelo Expansão, está a ser criado o Fundo de Infra-estruturas de Transportes de Angola (FITA), com o objectivo de estimular os projectos sem ser necessária grande intervenção do Estado. A tutela explica que a fonte de recursos será a angariação de receitas das empresas pertencentes ao ramo e dos adiantamentos das concessões de projectos que já existem.

Citados pelo Expansão, alguns especialistas classificam o projecto como difícil e dizem que tendo em conta o prazo de implementação o Governo vai ter de enfrentar algumas adversidades, especialmente ligadas à contratação de financiamentos.