Ver Angola

Política

Ameaça de protesto obriga PR a trocar visita ao Centro de Quarenta do Calumbo por ida à Clínica Girassol

O Presidente da República já não vai visitar o Centro de Quarentena do Calumbo. Depois de terem surgido ameaças da realização de um protesto, João Lourenço decidiu mudar o local da visita para a Clínica Girassol. A visita está prevista acontecer este Sábado.

: Ampe Rogério/Lusa
Ampe Rogério/Lusa  

"Cumpre-nos informar que o local da visita foi alterado para a Clínica Girassol, localizada no quilómetro 27, na Estrada de Catete", revelou uma nota da Casa Civil da Presidência, citada pelo Novo Jornal.

A mudança surge depois de cerca de 60 pessoas, que estão internadas no Centro de Quarentena do Calumbo, terem ameaçado receber o Presidente sob a forma de protesto.

Os 60 cidadãos dizem-se revoltados com o facto de as autoridades de saúde não os informarem sobre o resultado dos seus testes e de quando é que terão alta. Além disso, queixam-se também da falta de condições de higiene.

Em declarações ao mesmo jornal, um morador do Futungo – onde foi montada cerca sanitária – criticou a actuação das autoridades de saúde, frisando que estas estão a esconder informação sobre os testes à covid-19.

As pessoas que estão internadas no centro correm "mais riscos dentro do centro do que fora dele por não haver condições para manter os pacientes", considerou.

Outro jovem, que preferiu não ser identificado, também se queixou da falta de condições, indicando que os pacientes têm partilhado objectos: "Partilhamos tudo, ficámos 48 horas sem máscaras, não há higiene, não há segurança, estamos sempre atrás dos médicos para nos darem alta. Neste momento sentimo-nos revoltados e queremos ir embora porque este lugar não nos oferece qualquer segurança".

Outra das pacientes do centro aponta o dedo ao Governo, afirmando que o executivo os que manter internados "só para fazer número e justificar os valores gastos".

Relacionado