Ver Angola

Política

Joana Lina: “Vim para a província de Luanda para trabalhar e podem contar comigo”

Joana Lina, a recém nomeada governadora provincial de Luanda, reconheceu que a população da capital enfrenta várias dificuldades económicas. No entanto, afirmou que se todos trabalharem em conjunto, as soluções para ultrapassar essas adversidades serão encontradas de forma mais rápida.

:

A nova governadora - empossada pelo Presidente há cinco dias - falava durante a cerimónia da entrega das pastas do Governo Provincial de Luanda, afirmando que a capital enfrenta actualmente vários problemas sociais e económicos, mas deixando claro que vai trabalhar para os combater.

Durante o seu discurso, Joana Lina apelou a que todos os directores provinciais e todas as administrações distritais e municipais trabalhem em conjunto para combater as dificuldades que Luanda está a viver e mostrou-se disponível para colaborar e ajudar todos os que vão trabalhar consigo: "vim para a província de Luanda para trabalhar e podem contar comigo".

Citada pela Angop, a governadora reconheceu ainda que tem em mãos um trabalho árduo e que os vários constrangimentos que a capital enfrenta poderão vir a adiar a realização de alguns projectos. No entanto, Joana Lina não deixou de realçar que vai fazer tudo o que tiver ao seu alcance para enfrentar as dificuldades actuais.

"Como devem certamente imaginar, nós não viemos para resolver todos os problemas de Luanda mas estamos aqui para ajudar a encontrar os caminhos sustentáveis para a resolução progressiva dos problemas que a sociedade nos pede para serem resolvidos", sublinhou.

Já Sérgio Luther Rescova, que até então assumia o cargo de governador de Luanda e que agora passará a governador do Uíge, aproveitou a cerimónia para agradecer aos luandenses e pediu a Joana Lina para confiar na equipa com quem vai trabalhar porque, até aqui, têm feito um bom trabalho.

O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Marcy Lopes, que também esteve presente na cerimónia, explicou que o facto de Luanda ter um grande número de habitantes e de ser a cidade que alberga todos os órgãos nacionais de soberania, torna a acção governativa pouco eficaz. Contudo, sublinhou que se houver união, o trabalho de Joana Lina será facilitado.

Galeria

Relacionado