Ver Angola

Comércio

Ministério da Agricultura nega ter recebido pedido da Shoprite para exportar produtos para a África do Sul

O Ministério da Agricultura disse esta Terça-feira que emite "com regularidade" certificados fitossanitários para exportação de produtos vegetais e negou ter recebido qualquer solicitação da cadeia de supermercados Shoprite Angola para exportar ananás para a África do Sul.

:

Em comunicado enviado à Lusa, o órgão ministerial reage a declarações de um responsável daquela cadeia de supermercados, feitas na semana passada, que afirmou aguardar "há um ano" tramitações por parte das autoridades angolanas para poder exportar produtos para a África do Sul.

Na nota, o Ministério da Agricultura e Pescas refere que "em momento algum" aquela cadeia "terá solicitado" a este órgão "certificado fitossanitário para a exportação de ananás para a África do Sul".

O Governo menciona ter recebido, a 14 de Março de 2019, um email das autoridades sul-africanas informando que estava a decorrer naquele país um estudo de análise de riscos de doenças e pragas de ananás produzido em Angola.

As autoridades sul-africanas, adianta o Ministério da Agricultura, enviaram para Angola uma lista com 25 doenças e pragas infestantes do ananás e uma com 34 doenças e pragas da manga que não existem no seu país, para a confirmação das mesmas em Angola.

Angola confirmou apenas a existência de cinco das 25 pragas em relação ao ananás, explica.

"Importa realçar que as restrições à importação de produtos de origem vegetal dependem da entidade fitossanitária do país importador e não do país exportador", lê-se no comunicado.

A Lusa noticiou na semana passada que a cadeia de supermercados Shoprite Angola aguarda "há um ano" por uma resposta do Ministério da Agricultura para exportar ananás, maracujá, manga e café para a África do Sul, conforme disse um responsável.

Segundo Eduardo Cussendala, gestor de negócios da Shoprite Angola, depois da exportação de perto de cinco toneladas de banana em 2019, os operadores da gigante sul-africana em Angola tencionam variar a exportação agrícola, mas apontam "entraves".

O Ministério da Agricultura e Pescas sublinha ainda, no documento, que Angola, como membro da Organização Mundial do Comércio, tem cumprido com os compromissos assumidos com os Estados-membros no acordo de facilitação do comércio e tem emitido certificados fitossanitários para exportação de banana, manga, ananás, mamão, maracujá e pitaia para países africanos e europeus sem restrição.

Relacionado