Ver Angola

Saúde

Covid-19: Angola com mais 140 casos e Governo alerta para riscos de incumprimento

Angola registou mais um óbito e 140 casos de covid-19, no dia em que se iniciou a segunda fase da vacinação, anunciou a ministra da Saúde, apelando ao cumprimento das medidas de prevenção, devido ao risco das novas estirpes.

: Lusa
Lusa  

De acordo com Sílvia Lutucuta, foram registadas nas últimas 24 horas 134 novas infecções em Luanda, cinco no Huambo e uma no Zaire, das quais 63 de sexo feminino e 77 do sexo masculino, com idades entre 2 e 88 anos.

Foi também notificado mais um óbito, em Luanda, uma angolana de 58 anos, e 227 pessoas recuperaram da doença, das quais 220 em Luanda, com idades entre 1 e 84 anos.

Foram testadas 2627 amostras num total de 508.543 amostras processadas.

O número de casos de infecção pelo novo coronavírus detectados até agora em Angola é de 27.133, dos quais 603 óbitos, 2390 casos activos e 24.190 recuperações.

A ministra da Saúde reiterou que estão a aparecer novos casos em todas as faixas etárias, e sintomáticos, alertando para a circulação comunitária de estirpes virulentas como a sul-africana e inglesa em Luanda, e apelou a que as pessoas em quarentena e isolamento domiciliário cumpram escrupulosamente as medidas.

"Temos estado a assistir a situações em que é recomendado o isolamento e as pessoas não cumprem, convivem com outros membros da família, e vamos assistindo a novas infecções nesses agregados, em especial crianças e pessoas de idade mais avançada", afirmou.

Ao sair de casa "estão também a gerar novas cadeias de transmissão", continuou a governante, voltando a apelar à população para que denunciem os incumpridores.

A responsável da Saúde pediu igualmente que se respeite a cerca sanitária de Luanda, saindo da província apenas em caso de necessidade, e sublinhou que aumentou consideravelmente a pressão sobre os postos de testagem nas saídas da cerca.

"Já tivemos num só dia mais de 11 casos num ponto", indicou.

No dia em que o país iniciou a segunda fase de imunização com a vacina da AstraZeneca, que pretende abranger 530 mil pessoas, Sílvia Lutucuta apelou também às pessoas que são chamadas para vacinação para que cumpram o seu dever cívico e patriótico e mostrou-se optimista quanto à possibilidade de aquisição de uma vacina cubana.

"Tão logo tenha aprovação, claro, vamos usar todas as vacinas seguras aprovadas e certificadas", respondeu na conferência de imprensa em Luanda.

Angola recebeu um milhão de doses de vacinas da AstraZeneca no âmbito da iniciativa Covax, bem como doações da China (200 mil doses da Sinopharm) e autorizou a compra de seis milhões de doses da vacina russa Sputnik V.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.203.937 mortos no mundo, resultantes de mais de 152,7 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Relacionado