Ver Angola

Cultura

Revista britânica Songlines distingue banda Ayom de inspiração “afro-lusófona”

Os Ayom, banda baseada em Barcelona que reúne músicos de origem brasileira, angolana e de países do Sul da Europa, conquistou esta Quinta-feira o prémio de Melhor Grupo, nos prémios da revista britânica Songlines.

:

A banda reúne a cantora e percussionista brasileira Jabu Morales, os percussionistas Walter Martins, de Angola, e Timoteo Grignani, da Grécia, o guitarrista luso-angolano Ricardo Quinteira, o acordeonista italiano Alberto Becucci, e o contrabaixista italiano Francesco Valente, que se fixou em Lisboa.

O álbum de estreia da banda, "Ayom", que já conquistara a distinção "Top of the World", na edição de Janeiro da revista, foi gravado em Portugal, em 2019.

As composições testemunham influências da música do Brasil, Cabo Verde e Angola, numa "ligação afro-lusófona" aos "sabores mediterrânicos", como destaca a Songlines.

A Orkesta Mendoza, do Arizona, Estados Unidos, Tamikrest, do povo Tuaregue, e os franco-argelinos Zoufris Maracas eram os outros nomeados para Melhor Grupo.

A fadista Mariza, que tinha o seu mais recente trabalho, "Mariza Canta Amália", saído no ano passado, entre os cinco finalistas ao prémio de Melhor Álbum Europeu, foi ultrapassada pelo disco "Singer of Tales", do músico da Bósnia-Herzegovina Damir Imamovic, de acordo com a lista de vencedores publicada no 'site' da revista.

Além de Imamovic, estavam também nomeados, para melhor disco europeu Sam Lee, do Reino Unido, com "Old Wow", e as francesas Cocanha, com "Puput". Mariza já conquistou este galardão em 2019, com o disco "Mariza".

O prémio de Melhor Artista foi para a cantora isaraelita de origem iraniana Liraz Charhi, que teve de gravar o seu álbum "Zan" em clandestinidade, para proteger os músicos iranianos que consigo trabalharam.

"Zan", como escreve a Songlines, presta "uma homenagem às mulheres do Irão, das 'noivas-crianças' [dos casamentos combinados] às combatentes pela liberdade".

Yilian Cañizares, de origem cubana, o argentino Melingo e o bósnio Damir Imamovic eram os restantes candidatos a Melhor Artista.

Os prémios de música da revista Songlines têm por objectivo "celebrar a extraordinária quantidade de talento musical ao redor do mundo", segundo a revista inglesa.