Ver Angola

Política

Frente de Libertação de Cabinda prolonga cessar-fogo devido à covid-19

A Frente de Libertação de Cabinda (FLEC), através do seu Estado-maior das Forças Armadas anunciou que vai prolongar por mais 30 dias, a partir das zero horas, de Quinta-feira, o cessar-fogo devido à covid-19.

:

Em comunicado, a que Agência Lusa teve acesso, a FLEC-FAC (Forças Armadas de Cabinda) sublinha que o primeiro cessar-fogo foi decretado a 13 de Abril, em resposta ao apelo lançado pelo secretário-geral das Nações Unidas no combate à pandemia de covid-19.

"Devido ao agravamento da situação sanitária em Cabinda provocada pela proliferação do covid-19, e uma vez mais respondendo ao apelo do Secretário-geral da ONU, a FLEC-FAC prolonga o cessar-fogo por um período adicional de 30 dias, que terá início às 00h00 de 14 de Maio", lê-se no comunicado.

Durante o período de cessar-fogo decretado pelas FLEC-FAC, destaca o comunicado, "as Forças Armadas Angolanas (FAA) prosseguiram os ataques contra as nossas forças e contra as populações civis de Cabinda".

A terminar, a força independentista de Cabinda reafirma "uma vez mais, a disponibilidade para estabelecer um diálogo que permita a criação das condições para pôr fim ao conflito em Cabinda".

Criada em 1963, a organização independentista dividiu-se e multiplicou-se em diferentes fações, efémeras, com a FLEC-FAC a manter-se como o único movimento que alega manter uma "resistência armada contra a administração de Luanda".

Relacionado