Já é conhecido projecto de acessos ao novo Aeroporto Internacional de Luanda

A acessibilidade ao novo Aeroporto Internacional de Luanda tem sido um assunto muito debatido na sociedade angolana, com o Executivo a fazer um esforço para garantir as melhores opções. Neste contexto, o ministro dos Transportes, Augusto Tomás, explicou em conferência de imprensa a situação actual do projecto.
a1v2:
    a1v2

À margem da 6.ª Sessão Ordinária Conjunta da Comissão Económica e da Comissão para a Economia Real do Conselho de Ministros, o titular da pasta dos Transportes explicou que o projecto de acessos ao novo Aeroporto de Luanda consistirá em acessos rodoviários e ferroviários.

No que diz respeito aos acessos rodoviários, o ministro adiantou que serão abertas ligações a norte e a sul da Estrada Nacional 230, que ligarão a Via Expresso ao novo aeroporto, passando em paralelo à Estrada do Catete. Citado pela Angop, esclareceu ainda que o novo corredor sul passará pelo Zango e ligará a via principal de acesso ao novo aeroporto, numa extensão de cerca de 23,5 quilómetros. Já o novo corredor norte passará entre a nova centralidade de Cequele e a Baía e ligará a Estrada Nacional 230 ao novo aeroporto, também numa extensão de cerca de 23,5 quilómetros.

Assim, os dois novos corredores totalizarão uma extensão de cerca de 50 quilómetros, sendo que o corredor de Catete é divido em dois trechos: o primeiro de 23 quilómetros, desde a Unidade Operativa de Luanda até à Via Expresso (Benfica/Cacuaco), e o segundo com cerca de 17 quilómetros, da via Expresso até ao novo Aeroporto Internacional de Luanda.

O ministro adiantou ainda que o projecto prevê a reformulação da actual Estrada de Catete, que passará por uma auto-estrada urbana, com ruas de serviços laterais para acessos locais, e cerca de sete nós, que garantirão travessias de acessos à auto-estrada. Existirão ainda 25 novas passagens pedonais superiores.

Em relação ao nível ferroviário, Augusto Tomás informou que o Governo aprovou a segunda via Bungo/Baía, assim como a aquisição de 10 unidades múltiplas diesel (comboios). Será construído um ramal ferroviário que vai desde a Baía ao novo Aeroporto Internacional de Luanda, numa extensão de oito quilómetros, assim como seis novas estações ferroviárias (Bungo, Musseques, Viana, Kapalanca, Baia e novo Aeroporto Internacional de Luanda). Estas estações serão multifuncionais, sendo que algumas incluirão centros comerciais e zonas reservadas à realização de check-in para passageiros que irão seguir viagem. 

Mais Lidas