Ver Angola

Economia

Luanda lidera inflação em Abril agravada pelo aumento dos transportes

A inflação oficial em Angola cifrou-se em Abril, em termos médios, nos 0,71 por cento, com a província de Luanda a liderar as subidas em todo o país, agravadas nos transportes, que se ressentem dos sucessivos aumentos nos combustíveis.

:

Segundo o mais recente relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano, a que a Lusa teve acesso, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) nacional foi influenciado de Março para Abril sobretudo pela classe "Transportes", cujos preços aumentaram 1,17 por cento, pelos "Bens e Serviços", que subiram 1,21 por cento, e nas "Bebidas Alcoólicas e Tabaco", que aumentaram 0,88 por cento.

Nos últimos sete meses, o preço do litro de gasolina em Angola subiu 91 por cento, enquanto o do gasóleo aumentou 125 por cento, fruto de três aumentos, o último dos quais a 30 de Abril, decorrentes da diminuição dos subsídios públicos ao sector.

Entre as 18 províncias nacionais, Luanda, capital do país e cidade considerada a mais cara do mundo, viu os preços subirem em apenas um mês 0,85 por cento, enquanto no interior, a Lunda Sul registou um aumento de 0,80 por cento e no litoral o Bengo de 0,76 por cento. Em Luanda, este foi também o mais elevado aumento mensal dos preços em mais de um ano, segundo o INE. As províncias com menor variação dos preços foram as de Cabinda e do Moxico, com 0,32 por cento e 0,44 por cento respectivamente, segundo o INE.

Apesar destes valores oficiais, no mercado paralelo, devido à crise da cotação internacional do petróleo com reflexos na falta de divisas, os aumentos de preços, sobretudo de produtos alimentares, são superiores. De acordo com dados daquele instituto público e do Banco Nacional de Angola, a inflação no país terá ficado ligeiramente abaixo dos 7,5 por cento em 2014.

Na revisão do Orçamento Geral do Estado para 2015, devido à forte quebra da cotação internacional do barril de petróleo, o executivo angolano definiu uma previsão de 7 por cento a 9 por cento para a variação da inflação este ano.